Vanderson Pereira deixa Guarany e assume o Gaúcho
Publicado em 19/02/2020

Esportes

Foto: Arquivo/FS

Treinador optou pelo novo time para ficar mais perto de casa e da família

O mercado de transações do futebol segue com intensas movimentações neste início de temporada, principalmente na Rainha da Fronteira. Agora, a bola da vez é o Guarany. O técnico Vanderson Pereira deixou o comando alvirrubro e embarcou, ontem, rumo a Passo Fundo, onde assume o comando do Gaúcho para a Terceira Divisão. Além dele, o auxiliar técnico Jefferson Fredo e o preparador físico Mariel Mees também partem rumo ao novo desafio. 
Antes de viajar, Vanderson recebeu a reportagem do jornal Folha do Sul para uma conversa sobre a saída. O namoro com o Gaúcho já é antigo. Em 2015, quando treinava o Marau, Vanderson eliminou a equipe de Passo Fundo da disputa da Terceirona, ainda na fase de grupos. Naquele ano, o Marau foi campeão em cima do Guarany. No ano passado, novamente o técnico foi o carrasco alviverde, quando o Guarany derrotou nos pênaltis o Gaúcho nas semifinais, ficando com a vaga para a Divisão de Acesso. Com as duas eliminações, o treinador entrou na mira da diretoria do periquito. As primeiras propostas do clube ao treinador chegaram ainda em outubro do ano passado, mesma época em que o Guarany anunciou a renovação de contrato com Vanderson. Agora, para a decisão de assumir o comando do clube pesaram vários fatores, inclusive a forma de contrato. “Eles (Gaúcho) me ofereceram um contrato até o final do ano com possibilidade de renovação para 2021, caso conquiste a vaga para o Acesso”, esclarece o treinador. 
Outro fator que foi determinante para a decisão é a proximidade com a família. Vanderson possui vínculos muito fortes com Passo Fundo. Natural de Carazinho, o técnico se mudou para a cidade aos dois meses. Seu pai, Joubert, foi lateral do Gaúcho nos anos 80 e o próprio treinador defendeu as cores alviverde em 2010, quando ainda era jogador. Também pesou a proximidade com a esposa e o filho. Luciane Morais e Arthur Gabriel moram em Itapema, Santa Catarina, distante cerca de 555 quilômetros de Passo Fundo. “Agora estou no meio do caminho para casa”, brinca Vanderson, fazendo um comparativo com a distância até Bagé.
Trajetória e avaliação
Vanderson assumiu o comando do Guarany em 2019 para a disputa da Terceirona. Naquela época, o nome do técnico foi bastante contestado. “Aqui no interior o pessoal gosta de treinadores mais experientes, que tenham nome”, pondera. Aos 41 anos, o treinador desempenha a função desde 2013, quando comandou o Hercílio Luz, Santa Catarina.
Ainda no início da Terceirona, Vanderson seguia contestado, já que apesar das vitórias, o time não apresentava um futebol bonito em campo. “As críticas fazem parte da profissão e as contestações também servem para amadurecer. Quem não acreditava no meu trabalho no início, passou a acreditar depois”, afirma. Vanderson conquistou  a maior invencibilidade do Guarany na era moderna do futebol gaúcho, somando 16 jogos oficiais invicto durante a campanha da Terceirona, sagrando o Guarany campeão de 2019.
Sobre o trabalho desenvolvido ao longo desse tempo, ele acredita ter deixado um legado para o clube. “Eu consegui cumprir o meu maior objetivo dentro do Guarany, que era conquistar o título, mas para tudo existem ciclos. Eu precisava dar uma resposta ao Gaúcho e posso dizer que essa foi uma das decisões mais difíceis que tive que tomar até hoje”, desabafa.
O técnico ainda deixa um recado para os alvirrubros: “Quero agradecer a diretoria que apostou no meu trabalho, aos jogadores e profissionais com os quais eu trabalhei e aos torcedores que sempre nos ajudaram muito”.
Rotina no alvirrubro
Ontem, o técnico já não estava mais à frente dos treinamentos alvirrubros. Quem comandou os treinamentos foram o preparador de goleiros Fabrício Brum, o analista de desempenho Kauê Monteiro e o massoterapeuta Luís Eduardo Rocha. A expectativa é que hoje o novo treinador assuma o comando da equipe.

Deixe sua opinião