Uma estrada, promessas e política
Publicado em 14/03/2019

Editorial

O assunto é batido, porém se não bater ele cai no esquecimento como é costume acontecer em obras públicas inacabadas no Brasil. Trata-se do asfaltamento de um trecho da ERS-473, a estrada que liga Bagé a Lavras do Sul. Quem não lembra da politicagem que foi feita em torno da pavimentação dessa via na gestão do então governador Tarso Genro (PT). No mesmo governo, a obra parou e nunca mais foi retomada. Na ocasião, políticos foram para a estrada tirar fotos e em alto brados afirmar que a pavimentação ia sair. Muito jogo de braço e troca de farpas entre políticos de diferentes partidos aconteceu. Contudo, no meio de tudo isso, o que interessa emperrou. Sobrou apenas pó e, em dias de chuva, lama. O pequeno trecho, que começou a ser asfaltado, hoje é pedra solta e poeira. Esse é mais um capítulo de dinheiro público jogado fora. A pavimentação é esperada há mais de 30 anos, entra governo e sai governo e quem precisa utilizar essa via é que sente na pele a leniência dos gestores públicos. Sempre é relevante frisar, essa é uma das mais importantes estradas da região – por lá trafegam todo tipo de veículo. Cansados com tudo isso, os moradores daquela região fizeram muitos protestos, inclusive, políticos se prestaram a participar. Depois de um tempo com tudo quieto, agora o assunto volta à discussão. Na segunda sessão ordinária da Câmara de Vereadores, o progressista, Antenor Teixeira prometeu retomar as mobilizações e fazer pressão política pela pavimentação da via. O assunto ganhou mais notoriedade, na mesma semana com o anúncio da deputada estadual Juliana Brizola, do PDT, de que ela tem pedido informações sobre a situação dessa obra há oito anos, mas governo nenhum responde de forma concreta. É uma via crucis esse caminho por onde passa boa parte da produção da região, o transporte escolar, ambulâncias, veículos particulares e ônibus de linha.


OLHO: “Muito jogo de braço e troca de farpas entre políticos”

Deixe sua opinião