Reivindicações
Trabalhadores cruzam os braços e ônibus não circularam ontem de manhã
Publicado em 03/07/2020

Geral

Foto: Niela Bittencourt

Sindicato tratou de demandas da categoria em reunião com empresas

A fria manhã de quinta-feira iniciou com transtornos para quem utiliza o serviço de transporte coletivo. Isso porque os profissionais que atuam nas duas empresas concessionárias do serviço público paralisaram as atividades durante a manhã. Com isso, os ônibus não circularam até o meio-dia.

O diretor da unidade da Stadtbus, Alexandre Solari, explica que os portões da garagem da empresa ficaram fechados em ação dos representantes dos trabalhadores, o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários, estarem mobilizando os profissionais com cobrança da assinatura do acordo coletivo da categoria. Solari reitera que salários, adiantamento e benefícios pagos pela empresa estão “rigorosamente em dia”. Solari frisa que a negociação foi feita e as empresas apresentaram uma proposta para tentar a liberação dos coletivos. Ao meio-dia ficou decidido pela retomada das atividades.

Acordo coletivo

A reportagem do jornal Folha do Sul foi até a garagem da empresa e falou com os profissionais que estavam paralisados. Eles destacaram a pauta de negociações, como a necessidade de assinatura do acordo coletivo levada pelo sindicato ao consórcio das empresas que prestam o serviço na cidade. Eles aguardavam o término da negociação para a retomada das atividades.

Solari conta que dos três pontos exigidos pelo sindicato, dois foram negociados e acertados, ficando outro para ser discutido posteriormente. “É bem complicada essa paralisação, pois o momento que as empresas do transporte público estão vivendo é muito difícil. As empresas estão convivendo com atraso pelo poder público no equilíbrio financeiro do contrato; queda de passageiros, restrição de uso, entre outros. O segmento de transporte coletivo foi um dos mais atingidos e muitas empresas no Brasil estão literalmente quebrando”, enfatiza o diretor da Stadtbus.

Executivo acompanhou negociação

Em contato com o jornalista Fernando Tólio, o secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, José Carlos Nobre, mencionou que acompanhou pessoalmente  a negociação do sindicato com as empresas Anversa e Stadtbus.  “Se trata de uma negociação privada, mas, para tentar minimizar os prejuízos à população, estamos em contato com as duas partes. Sabemos das questões que impactam o setor, porém precisamos de um acordo", avaliou.

Conforme dados da SSM, antes da pandemia, as roletas do transporte coletivo registravam, em média, de 18 a 20 mil passagens. Este número caiu em 70% em março, abril e maio. Com a retomada gradual das atividades econômicas no município, a recuperação foi de 50% do fluxo.

A estimativa é de que cerca de 10 mil pessoas tenham ficado sem o serviço do transporte coletivo na manhã de ontem.

Deixe sua opinião