No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Evento da raça Angus
Touro de criatório de Dom Pedrito é vencedor em Teste de Eficiência Alimentar
Publicado em 12/09/2019

Rural

Foto: Carolina Jardine / Especial FS

Redbar Gretzky G395 V64 Lodi Prince, pertencente à Fazenda da Barragem

O touro Angus vermelho Redbar Gretzky G395 V64 Lodi Prince, pertencente à Fazenda da Barragem, do criador Francisco de Paula Cardoso e filhos, de Dom Pedrito, foi o vencedor do Teste de Eficiência Alimentar Angus 2019, realizado em parceria entre a Associação Brasileira de Angus e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Os resultados foram divulgados na terça-feira, em evento na Estação Experimental Agronômica da Ufrgs, em Eldorado do Sul. A prova avaliou 19 reprodutores estabelecendo um ranking de eficiência alimentar que correlaciona Consumo Alimentar Residual (CAR) e Ganho e Peso Residual (GPR), uma inovação deste ano. “É um teste muito importante para a seleção Angus dentro de padrões modernos porque mede a capacidade de um reprodutor de ganhar mais peso com deposição adequada de gordura na carcaça com o menor consumo possível”, explicou o gerente de Fomento da Angus, Mateus Pivato. No ano passado, quando o teste foi lançado, avaliava-se apenas do CAR corrigido pela espessura de gordura subcutânea. O professor pós-doutor do departamento de Zootecnia da UFRGS e coordenador da prova, Jaime Tarouco, explicou que, a cada ano, o teste vem sendo aperfeiçoado. “Neste ano, fizemos um ajuste para a espessura de gordura de cobertura, o que é uma preocupação, principalmente para assegurar melhor acabamento. Esse é o único teste do Brasil que tem esse ajuste”, disse, frisando que a unificação do CAR e GPR permitiu uma avaliação mais completa dos reprodutores. 

O touro vencedor, que ingressou no teste com 564 quilos, concluiu a prova com 642 quilos, atingindo consumo e ganho de peso residual - CGPR (índice geral que relaciona CAR e GPR) de 1,38, resultado de um consumo residual de -1,325 quilos de ração/dia e de um ganho de peso residual de +0,054 quilos.  “Ter animais que produzam mais com menos alimento e menor emissão de gases é a chave da sustentabilidade na pecuária do futuro. Vamos multiplicar o G395 para melhorar a eficiência alimentar no nosso plantel e disponibilizar, via inseminação, sua genética para que outros rebanhos, contribuindo para o melhoramento da raça Angus no Brasil”, indicou o diretor da Fazenda da Barragem e também geneticista Fernando Cardoso.

 

Deixe sua opinião