SOCIAL 9 DE MAIO
Publicado em 09/05/2020

Social

Foto: Divulgação/FS

Eliziane Paz Deble, clic Julinho Pimentel

TUDO SOBRE FOTOGRAFIA, editora Atualidade, Retrato de Celebridades,  pág. 350. ( Parte IV).  No fim da década de 1940, o cinema hollywoodiano estava no auge da era de ouro, transformando atores em astros internacionais. Um interesse renovado pela cultura e pelas artes também fez com que figuras da música, da arte, da literatura e da alta sociedade se tornassem celebridades de sua época.  Retratos executados de forma meticulosa se tornaram cruciais na promoção da aura das celebridades, iluminados com esmero, habilmente estilizados e primorosamente retocados, esses retratos moldavam e fixavam a imagem de uma “estrela” na mente do público. [...].

A NOÇÃO de superestrela entrou em voga na década de 1950 com Grace Kelly e Marlon Brando. [...]. As próprias celeridades estavam cada vez mais cientes da forma como fotografias poderiam ser utilizadas para manipular sua imagem pública, como fez a atriz Marilyn Monroe que  explorou de forma inteligente a força da fotografia e o apetite insaciável do público por revistas ilustradas para gerar  publicidade e cultivar sua fama. [...].

ENQUANTO filmes e revistas estavam repletos de representações idealizadas de homens e mulheres glamourosos, uma cultura jovem surgia exigindo uma ideia mais excitante e sombria da fama.[...].

A ASCENÇÃO de fotógrafos paparazzi levou à eliminação da fronteira entre a vida pública e privada das celebridades. [...]. O fim da década de 50 marca uma mudança no stats dos fotógrafos que dedicavam talento e  contato aproveitando ao máximo o que o estilo de vida dos mais conhecidos e afortunados tinha a lhes oferecer. [...].   

ALÉM da resenha descritiva em “Tudo sobre a Fotografia”, alguns outros “apontamentos” da dissertação de mestrado em Artes, de João Paulo de Freitas - Universidade Federal de Uberlândia – “Artistas Visuais nos retratos fotográficos – da tradição  ao retrato de artistas no jornal Correio”.

LEIA nas páginas 119/115: Algumas considerações  sobre modelos de retratos de artistas visuais e fotografias de jornais; de que forma  a fotografia de jornal colabora na construção de uma imagem social do artista? Cumprindo o papel de ser o cartão de visitas, ou a porta de entrada dos novos artistas da cidade, em muitos casos, o retrato de modelos e celebridades marca a entrada em cena  dos aspirantes ao reconhecimento; vistas em conjunto percebemos que as imagens carregam um perfil muito específico que tenta construir a imagem de pessoas alegres, sensíveis, modernas e livres; conceitos que são reflexo de um ideal que a sociedade procura sustentar. [...].  

SUGESTÃO de leitura: “Os Fotógrafos do Império”, Pedro Aranha Corrêa do Lago, da Capivara Editora, 2006;  “Vik Muniz – Obra Completa 1987-2015”, também da Capivara Editora, Rio.

Deixe sua opinião