Social - 5 DE OUTUBRO
Publicado em 05/10/2019

Social

Foto: Divulgação/FS

Participantes do 25° Encontro de Pesquisadores em História da Educação”, auditório Vitor Hugo Maia

PROFESSOR

Fabrício Carpinejar

Um professor sempre será melhor que o Google.

Porque o professor não dá uma informação, conta histórias.

Porque o professor funciona mesmo sem Wi-Fi, mesmo sem luz, mesmo no temporal.

Porque o professor não facilita a busca, exercita a memória.

Porque o professor não cria dependência, mas possibilita amizades.

Porque o professor pode mudar o destino de um assunto, voltar atrás, recomeçar de novo, dependendo das necessidades da turma.

Porque o professor não realiza só o que você deseja, vai além com detalhes e comparações.

Porque o professor lê a sua alma quando levanta o dedo para a pergunta, não apenas recebe uma dúvida.

Porque o professor também se importa com aquilo que não entendeu mais do que aquilo que quis perguntar.

Porque o professor escolhe falar do que ama. Você não está apenas tendo uma aula sobre um conteúdo, e sim testemunhando uma história de amor.

Porque o professor não coloca o seu salário acima da vocação, não coloca as circunstâncias acima dos indivíduos.

Porque o professor não julga, é todo feito para compreender, e enxerga a nota como um retrato provisório de sua curiosidade. Aposta na recuperação milagrosa quando nem mais a família tem esperança.

Porque o professor não pratica nenhuma competição, não patenteia as suas frases, não sonega o que viveu, repassa tudo o que assimilou na carreira.

Porque o professor vislumbra o que você pode vir a ser, não se fixa em sua idade.  (Dia do Professor – 15 de Outubro) .

INTERESSANTE esta proposta do desembargador José Carlos Teixeira Giorgis. Lá pela metade do ano 80, ele juntamente com Morvan Ferrugem e Carlos Rodolfo Thompson Flores escreviam coluna semanal no diário da época, o Correio do Sul. Os diversos textos foram elogiados pelos leitores do jornal, é claro. Certa vez, Edmundo Rodrigues, a pedido deles, organizou um livro: “A branda polpa”, título de uma das crônicas. O material chegou a ser digitalizado; até a capa do livro Edmundo elaborou com a Praça da Matriz ilustrando o material. E por que a Praça? Por ser o cenário onde os amigos saboreavam chimarrão e conversavam nas manhãs de domingos. Mas, a publicação nunca vingou. Agora, a ideia de Teixeira Giorgis é a de publicar o livro, ano que vem, com sessão de autógrafos na galeria de arte Edmundo Rodrigues. Vejam as voltas que a vida dá,  meus queridos!

NOVEMBRO (28), na Casa de Cultura Pedro Wayne, o poeta Luís Coronel vai autografar: “A Forma Fêmea dos Figos”; também recital de poesias do Coronel na voz do consagrado Sérgio Rojas... DE VOLTA à galeria do City Hotel, empresária Mari Dalla Rosa Necchi encantada com o projeto novo que a arquiteta Rachel Morgado projetou para a loja Bebê & Cia. Aplausos!

ESTA semana, tive a grata satisfação de conhecer a bióloga (santamariense) Priscila Crespam, que leciona na escola estadual Carlos Kluwe. A professora Priscila é educada por natureza e “de alma”; é muito bom encontrar pessoas assim; ela merece muitos aplausos!

PALAVRAS de Constanza Pacolato: “A elegância está em não invadir o lugar do outro [...]. As pessoas acham que moderno é não ter regrinhas de bem viver. Então, você pisa no outro, fala o que quer, grita ao celular, ocupa o espaço que não é só seu. [...]. Algumas pessoas, muitas vezes, não sabem mais nem cumprimentar, ou exageram, o que não é necessário. [...]. “O novo livro da Pascolato: “A elegância do Agora”, já está na Leb; ouviram meninas?

CASAMENTO de Pâmela Muniz e Cláudio Juliano Mesquita, dia 7 de dezembro, às 19h30min, na sede campestre da Afins – no bairro Comandante Kraemer... NA loja Efeito, segunda-feira (7), entre 15h e 20h, Leilah Kalil Castro e Débora Dvoskin vão recepcionar clientes e amigos para conhecerem as novidades primavera-verão da loja de Leilah e também as joias da Dvoskin; são peças que deixam o mulherio de queixo caído e cobiçando comprar o mostruário inteiro. Aplausos!

PARABÉNS aos organizadores do  25° Encontro da Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação (Asphe), que se realizou no auditório Victor Hugo Maia, Palacete Pedro Osório. A equipe (de 10) liderada pelo doutor  Alessandro Carvalho Bica trabalhou de maneira perfeita e ganhou aplausos dos participantes vindos de diversas universidades e institutos federais.

O CORAL da Unipampa fez a abertura do evento; coralistas muito afinados, devem apresentar-se mais vezes na cidade. Após o coquetel de abertura, alguns professores visitaram à galeria de arte Edmundo Rodrigues, por volta das 21h45min, na maior euforia, bonito de se ver e aplaudir, uau!     

 

Deixe sua opinião