Sindicato Rural de Santana do Livramento discute ações para combate ao abigeato
Publicado em 21/01/2020

Rural

A diretoria da Associação e Sindicato Rural de Santana do Livramento convocou, na sexta-feira, produtores rurais e diversos órgãos do município para uma reunião emergencial. A pauta foi, mais uma vez, a falta de segurança que os produtores vivenciam todos os dias no campo.

Além de ser o segundo maior município em extensão territorial do estado, Santana do Livramento também possui uma fronteira seca de mais de 100 quilômetros com o Uruguai. Isso tudo dificulta a atuação da Brigada Militar e reitera a importância de um trabalho de inteligência junto ao país vizinho. 

O presidente da Associação e Sindicato Rural, Luís Carlos Dauria Nunes, destacou a importância da atuação da Brigada Militar, porém, infelizmente, o resultado não está sendo muito eficiente no combate a esses crimes do campo: "A pressão está muito grande por parte dos produtores e com toda a razão já que os prejuízos são enormes e, agora, também há a preocupação dos ataques às residências rurais".

Quando o assunto é abigeato, o município não possui dados reais, pois muitos produtores não têm o costume de registrar boletim de ocorrência. Por outro lado, apenas um dos produtores presentes na reunião relatou um prejuízo de R$ 62 mil com o furto de 150 ovinos.

Para tentar diminuir esse problema, no encontro, foram discutidas ações efetivas a serem realizadas pelos diferentes setores presentes na reunião: Brigada Militar, Polícia Civil, Inspetoria de Defesa Agropecuária e Sistema de Inspeção Municipal da Prefeitura.

Segundo o major Silveira, subcomandante do 2º RPMon, a convocação do Sindicato Rural foi muito importante para poder fazer essa mesa de trabalho.  "Nós já estamos realizando um trabalho nessa área, mas, hoje, viemos aqui também para receber as reivindicações e fazer esse diagnóstico dos problemas no campo para 2020".

A principal proposta da reunião foi sobre a criação de um sistema de trabalho integrado, onde os diferentes órgãos possam manter uma comunicação e realizar ações com agilidade. Além disso, o Sindicato Rural anunciou que, através de um projeto com o banco Sicredi, irá doar drones para as polícias Civil e Militar poderem utilizar no monitoramento da área rural.

Luís Carlos Dauria ressaltou a importância  de uma ação conjunta. "No ano passado, junto aos produtores, o Sindicato Rural doou R$ 24 mil para recuperação de viaturas da Brigada Militar. Agora, iremos atrás de verba para auxiliar nas viaturas da Polícia Civil. Também estamos contando com o apoio da Farsul e teremos novas reuniões para alinhar os próximos passos", explicou.

A diretoria do Sindicato Rural tentará uma audiência com as secretarias de Segurança e de Agricultura do Estado. Após isso, uma nova reunião será marcada para alinhar os próximos passos.

Deixe sua opinião