Setor de tele-entrega registra aumento na procura durante pandemia
Publicado em 28/03/2020

Geral

Foto: Cristiano Lameira

Busca por esse serviço é uma alternativa para estabelecimentos continuarem funcionando

Com a disseminação do coronavírus pelo mundo e os decretos que restringem a circulação de pessoas, diversos setores da economia sentiram a perda de público durante esse período. Mas isso não vale para todos. Há quem percebeu aumento na procura pelos serviços. É o caso dos trabalhadores que atuam no ramo de tele-entrega. Com comércios de portas fechadas, principalmente no ramo de alimentação, a alternativa é recorrer a este serviço para não ficar totalmente parado enquanto durar as medidas de restrição. "A procura aumentou bastante, principalmente para fazer entregas das lancherias e das farmácias", relata o entregador Alexandre Moreira. Atualmente, Bagé tem cerca de 100 profissionais que fazem esse tipo de atividade. De acordo com o decreto vigente em Bagé, esses profissionais estão liberados para trabalhar normalmente, desde que respeitem as orientações de higiene e cumpram o horário estabelecido no toque de recolher. "Nós usamos máscara, luva, álcool em gel e mantemos uma distância segura do cliente", explica Moreira. Os entregadores podem circular mesmo após o toque de recolher, desde que comprovem, caso sejam abordados, que estão trabalhando. Uma curiosidade relatada por Moreira, durante esses dias, é que aumentou o número de clientes que optam pelo pagamento com cartão, já que as cédulas de papel podem conter microorganismos. "Aumentou bastante o pagamento em cartão, inclusive, estamos sempre higienizando as maquininhas", afirma. Preocupação com a segurança

Uma preocupação ressaltada por Moreira é com a segurança dos entregadores. Com o toque de recolher, muitas vezes, eles são os únicos a circular na cidade após o horário estabelecido. "Nosso maior medo é esse, pois tivemos um colega assaltado, inclusive levaram a moto dele", conta o entregador.

Deixe sua opinião