Semana Mundial de Aleitamento Materno terá programação on-line
Publicado em 01/08/2020

Geral

Foto: Divulgação/FS

Tema deste ano chama atenção para importância da amamentação

Para marcar a Semana Mundial de Aleitamento Materno 2020 (1 a 7 de agosto) e o Agosto Dourado, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) promoverá o 12º Seminário Estadual da Semana Mundial de Amamentação, o 7º Seminário Estadual da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, além de outros eventos alusivos ao tema.
Em tempos de pandemia, a programação será inteiramente on-line, além de gratuita e aberta a toda população, sem necessidade de inscrição prévia. 
Neste ano, o tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno será “Apoie a amamentação por um planeta saudável”, trazendo a amamentação para o contexto da sustentabilidade. De acordo com a técnica da Política Estadual de Atenção Integral à Saúde da Criança, Kátia Rospide, a amamentação, além de todos os benefícios já conhecidos para a mulher e para o bebê, também diminui o impacto ambiental causado pela alimentação com substitutos do leite materno.
“Fórmulas lácteas deixam vestígios ambientais devido aos métodos de produção, embalagem, distribuição e preparação. Por outro lado, a amamentação utiliza menos recursos naturais e quase não há desperdício”, defende Kátia.
Agosto Dourado
O mês recebeu este nome em homenagem ao aleitamento materno por ser considerado o alimento “padrão ouro”: tem todos os nutrientes e transfere toda a imunidade de que o bebê precisa. O leite materno deve ser o único alimento dos bebês até completarem seis meses de vida e é recomendado até os 2 anos de idade. Entre os benefícios da amamentação, Kátia ressalta a proteção para a criança de doenças, como diarreia, infecções respiratórias e alergias, além da redução do risco de desenvolvimento de hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.
Amamentação na pandemia
Kátia Rospide alerta que não há qualquer contraindicação da amamentação durante a pandemia da covid-19, mesmo se a mãe tiver confirmação da doença. Neste caso, o Ministério da Saúde recomenda a higienização das mãos e uso de máscara pela mãe durante o processo.

Deixe sua opinião