No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Semana Farroupilha
Semana Farroupilha mobiliza entidades tradicionalistas
Publicado em 11/09/2019

Geral

Foto: Divulgação/http://tropeiros21.weebly.com

Acedimento da Chama Crioula abre festejos

Por Mariana Muza

As entidades tradicionalistas da Rainha da Fronteira já estão preparadas para a Semana Farroupilha. Cada entidade tem uma vasta programação nos dias que antecedem o tão esperado desfile de 20 de setembro. A reportagem do Folha do Sul conversou com representantes de seis Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) e um Grupo de Artes Nativa (GAN) para saber quais são as expectativas e preparativos para as festividades.
Segundo o patrão do CTG Prenda Minha, Cleomar Franco, a programação da entidade tem uma ampla programação, com bailes quase todos as noites. Nesta semana, ocorre os ensaios da invernada; trabalho com as prendas e peões para a receptividade das 10 escolas municipais que vão visitar a entidade nos dias 16,17 e 18.  
Franco comenta que o mês de setembro é o mais esperado pelos tradicionalistas. “Além de ser a semana do gaúcho, o maior número de pessoas frequentando a entidade traz uma parte da verba para o restante do ano”, conta.
As atividades do Prenda Minha começam a partir das 18h desta sexta-feira, com o acendimento da Chama Crioula; às 21h30min, haverá jantar. Após, o Grupo Recanto e Amauri Junior animam a primeira noite da programação.
No dia 20, os gaúchos vão celebrar o final do desfile farroupilha com um churrasco; às 18h, acontece a extinção da Chama Crioula.
A entidade, que completou 67 anos, no dia 9 de setembro – o CTG 93, faz reformas na estrutura para receber os visitantes, como a troca de arames dos potreiros e parte elétrica. O patrão Olavo Brasil declara que a semana é importante para valorizar a parte campeira e a Revolução Farroupilha. “Precisamos valorizar os nossos antepassados”, enfatiza.
As atividades ocorrem a partir das 18h, no dia 13, com acendimento da Chama Crioula.  Durante o resto da semana, jantares serão realizados, às 21h.
O CTG 93 é um dos que mais agrega cavalarianos no dia do desfile, com cerca de 100 pessoas.  O patrão informa que, após o desfile na avenida Sete de Setembro, concursos serão promovidos na sede do CTG, como de aperos - acessórios para cavalo; guasqueiros - trabalhos com corda - e uma prova de resistência com potros. À noite, um jantar encerra as atividades.
O CTG Sentinela da Fronteira, que está com tudo pronto para o início da Semana Farroupilha,  participa da chegada da Chama Crioula, no dia 13, às 17h. A entidade, que comemorou na sexta-feira passada, 49 anos de fundação, com um sarau de prendas, participa do desfile com cerca de 30 cavalarianos.
O patrão Moacir Costa Moraes destaca a importância do CTG para a educação dos jovens. “No CTG, eles aprendem a valorizar a cultura gaúcha e os bons costumes”, afirma. Segundo ele, a programação da entidade terá no primeiro dia da semana uma atividade cultural logo após a chegada da Chama Crioula, sobre o tema dos festejos farroupilhas “Vida e Obra de Paixão Cortes”, além de um jantar de recepção aos cavalarianos.
No restante dos dias, diversas outras ações serão feitas, como torneio de laço; entrega de faixas e crachás a prendas e piás dente de leite; jantares, almoços; baile e recepção de escolas com atividades culturais, artísticas, campeiras e esportivas.   
Conforme o patrão do Sentinela da Fronteira, no dia 20, acontece o tradicional churrasco, às 12h30min. À noite, às 21h30min, haverá fandango. 
Uma patroa na liderança
De acordo com a patroa  do CTG Gaspar Silveira Martins, Iroema dos santos Marreiro, além da pintura do prédio para receber as pessoas, as invernadas fazem os ensaios durante o dia. Além disso, há cerca de duas semanas, uma palestra foi realizada para orientar as boas maneiras. Ela, que é a primeira mulher a assumir o cargo mais alto dentro do CTG, reforça a relevância da liderança feminina e destaca a importância dos costumes gaúchos. “Incentivamos as crianças a não abandonarem o centro nativista”, conta.
No começo das festividades farroupilhas, o CTG irá buscar a Chama Crioula, no Parque do Gaúcho, às 16h. O acendimento será às 19h30min. As atividades seguem com uma homenagem às entidades assistências da Rainha da Fronteira. 
No restante da semana, haverá café com roda de carreta, jantares e chimarrão dançante com o Musical Sul e Canto.  
No dia do desfile, cerca de 15 cavalarianos estarão representando a entidade, além das crianças nos caminhões. O encerramento da Semana Farroupilha acontece às 00h, junto à extinção da Chama Crioula. 
“Saem de bombacha e chimarrão”
O CTG que é situado no 3° Batalhão Logístico (Blog) ),  com 45 anos, está com tudo pronto para o início do evento festivo. Segundo o patrão Leonardo Rocha, o mais interessante de ter uma entidade dentro de um quartel é a mistura de culturas. Ele diz que os militares que vêm de outros locais se encantam com a cultura do gaúcho. “Saem de bombacha e chimarrão”, conta.
O patrão declara que no dia 13, às 18h, terá um cerimonial de abertura da Semana Farroupilha, além de uma roda de chimarrão. Nos outros dias acontecem almoços, apresentações,  hasteamento das bandeiras e jantares.
O dia 20 será marcado com a representação de 30 cavalarianos no desfile.  Após, haverá show e almoço.
Costelão no Pampa e Minuano
Segundo o patrão do CTG Pampa e Minuano, Ederson Santos, a Semana Farroupilha é programada e esperada o ano todo. Ele diz que o evento é o principal do calendário anual para os tradicionalistas. “É a oportunidade que temos de enfatizar o quanto respeitamos e cultuamos nossas tradições”, ressalta.
Durante os sete dias da semana, segundo o patrão, a principal atividade é a recepção das escolas no CTG, onde realizam oficinas que abordam temas como chimarrão, brincadeiras e lendas. Além dos jantares, shows e bailes. 
Conforme Santos, no dia 20 de Setembro, serão 35 cavalarianos no desfile. Em seguida, retornam ao local para o tradicional churrasco. “Nesse ano temos a segunda  edição do costelão que será servido a partir das 13h”, ressalta.
Missa crioula
Conforme o capataz de campeira do Grupo de Artes Campo Aberto, André Lima, há mais de três meses, a entidade está nos preparativos para o evento festivo. Lima comenta que o Campo Aberto tem atividades para todas as idades. “Temos pessoas aqui desde os 4 anos até os 75”, argumenta. Com invernadas bem ativas, ele diz que sempre há expectativa para essa época do ano.
Entre as atividades no dia 13, está o acendimento da Chama Crioula, às 18h. Logo após, acontece uma missa crioula.
As atividades se estendem com mateadas, jantares, recepção das escolas com ações culturais, artísticas, campeiras e esportivas. Após o desfile de 20 de setembro, um almoço será realizado, além de uma gincana cultural beneficente.
   

Deixe sua opinião