No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Representantes da região avaliam participação na Expointer
Publicado em 07/09/2019

Geral

Foto: Arquivo pessoal

Oscar Collares recebe premiação que escolheu a São Leonardo como cabanha do ano

A Expointer é uma das principais vitrines da produção primária da América do Sul. A região da Campanha, tradicionalmente, está representada com empreendedores que levam até o parque de exposições Assis Brasil, o que de melhor é produzido por aqui. Da produção animal em gado de corte, de leite, ovinos e os diferenciados exemplares da raça Crioula, entre outras raças, além do artesanato típico, muito do que representa Bagé e os municípios vizinhos pode ser conferido, anualmente, em Esteio.

Cinco  Salsos
Nesta reportagem, o jornal Folha do Sul ouviu três empreendedores que apresentaram os produtos de seus estabelecimentos rurais, bem como o artesanato durante a Expointer. Entre eles, está o proprietário da cabanha Cinco Salsos, de Aceguá, Cláudio Nery Martins, uma referência para o setor da raça Jersey do Rio Grande do Sul e Brasil. Martins relatou à reportagem que a Cinco Salsos participou da exposição com um lote de animais da raça Jersey, onde conseguiram resultados muito positivos. "Fomos o segundo lugar no concurso leiteiro, com 45 litros com uma vaca da nossa propriedade, participamos com 11 animais e tiramos várias premiações durante os julgamentos de pista; no final, ficamos com o prêmio de melhor criador da raça Jersey durante o circuito nacional, porque, na verdade, essa exposição de Jersey desse ano, durante a Expointer, fez parte do circuito nacional da raça, que é dividido por vários estados, como São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Então, ficamos bastante contentes com essa participação", comenta o criador, ressaltando que a exposição, também foi importante para se fazer contatos com produtores interessados na raça. "Deixamos marcadas algumas visitas para o pessoal vir, conhecer os animais e, quem sabe, fazermos alguns negócios. Enfim, a Expointer também é positiva porque os produtores podem ir, olhar máquinas, contatar novas tecnologias das outras atividades que a gente trabalha, como o gado de corte, o cavalo Crioulo, onde também tivemos olhando as provas e conversando com outros criadores da raça. Além disso, tivemos reuniões com o secretário de Agricultura, Covatti Filho, e com representantes de empresas que coletam leite aqui na região, porque sempre busquei trabalhar em prol da atividade leiteira aqui na Metade Sul do Estado. Ou seja, foi muito interessante e sempre de grande aprendizado a participação na Expointer", detalha Martins.

Ovinos e pôneis
Ainda no segmento de produção animal, a Estância São Leonardo, do distrito de Palmas, no interior de Bagé, foi destaque na Expointer no segmento da ovinocultura. Oscar Collares, proprietário da São Leonardo, conta que foi muito positiva a participação do estabelecimento em Esteio. No aspecto comercial, a São Leonardo vendeu todos os exemplares que foram expostos. "Tivemos100% nas vendas. Conseguimos bons valores na venda dos exemplares e, além disso, premiações importantes nos ovinos Corriedale Naturalmente Coloridos", aponta Collares. Entre os destaques, a São Leonardo obteve os prêmios de Grande Campeã Base, Don Leonardo 83 e reservada Don Leonardo 81, ainda a quarta melhor femea da exposição, Dom Leonardo Ativa 110, entre outras distinções. Com isso, a estância conquistou a marca de cabanha do ano durante a festa de encerramento da Associação Brasileira de Ovinos Naturalmente Coloridos. A São Leonardo fez uma pontuação superior a 3,6 mil pontos e recebeu um prêmio especial batizado com o nome do criador bageense e ex-dirigente da Arco, Paulo Sérgio Soares, que morreu precocemente este ano. "Recebi o prêmio e entreguei ao filho do Paulo Sérgio, o Joaquim, para ele deixá-lo na sede da Cabanha Espinilho, onde o Paulo Sérgio Soares tanto fez pela ovinocultura", comenta o produtor. Collares também destaca que a São Leonardo participou da mostra de pôneis na Expointer, com exemplar Urtiga da São Leonardo, que trouxe para Bagé a premiação de Reservada Égua Sênior. "Além da participação para negócios e julgamentos, sempre levamos pôneis para Esteio para realizar uma atividade chamada Voltinha de Pôneis, onde levamos 12 animais para fazer a alegria das crianças que estão no parque Assis Brasil. Também é importante porque, além do diferencial em entretenimento para as crianças, oportuniza que 12 famílias, que levamos conosco ao parque, possam trabalhar de forma regular, durante os dias da exposição", relata Oscar Collares, que destaca que a São Leonardo participa da Expointer desde 1991. 


Artesanato   

Na parte de artesanato, à reportagem conversou com Reni Spindola, que  representou a Rainha da Fronteira na 36ª exposição de artesanato do Rio Grande do Sul (Exporargs). O profissional declara que o evento superou as suas expectativas. Na vigésima participação, ele que produz itens de madeira como relógios, gamelas e artigos para churrasco, foi um dos selecionados entre os 184 artesãos de 54 municípios. Este ano, na Expointer, o destaque dos produtos foi o garfo para churrasco.  O modelo é feito com trama e rabicho. Além deste, o batedor de carne e tábuas de madeira também foram sucesso.   

Ele conta que até mesmo o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, recebeu o garfo e um batedor de carne quando esteve em Bagé. “O general Ramires me pediu e entregou para ele”, recorda.

Além disso, o artesão relata que a participação na feira ampliou as vendas para todo Estado. “Vendo para Porto Alegre, Santa Cruz, Soledade e Uruguaiana”, menciona. Em Bagé, ele comercializa os produtos no Núcleo Moveleiro do Pampa e no Shopping da Serra.

 

Deixe sua opinião