No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Saúde mental
Psicóloga dá orientações para evitar estresse e ansiedade durante isolamento social
Publicado em 26/03/2020

Geral

Foto: Divulgação/FS

Em uma situação por si só, estressante, Paula recomenda cultivar hábitos saudáveis durante quarentena

Um dos aspectos inéditos ocasionados pela pandemia por coronavírus é o isolamento social como forma mais eficaz para travar o avanço da doença. Hoje, aproximadamente 1,8 bilhão de seres humanos não sairão de casa para prevenir o contágio, ou porque foi decretado toque de recolher, ou porque estão doentes. Este número tende a aumentar, já que a Índia decretou isolamento compulsório de mais 1,3 bilhão de cidadãos do país asiático. Ou seja, totaliza 3,1 bilhões de pessoas em casa, no mundo inteiro, a maior da história da humanidade. Por isso, a psicóloga Paula Corrêa Botessele concedeu entrevista ao jornal Folha do Sul, para dar orientações neste período.

Ela lembra que o isolamento é extremamente necessário neste momento, já que o vírus Sars-CoV-2 é extremamente contagioso e que a prioridade é ficar em casa para achatar a curva epidêmica. “É essencial ficar em cassa e não sair, pois, desta forma, será impedida a sobrecarga nos sistema de saúde e também o colapso, que é quando não existem leitos suficientes para atender a demanda”, frisa.

Um dos principais aspectos observados pela profissional, que tem atendido pessoas por teleconferência é a ansiedade. “O fato de estarmos enfrentando uma situação totalmente fora do comum causa desgaste físico e emocional. Por isso, é preciso aliviar o estresse e a ansiedade. Também é um momento para focar nas coisas boas”, explica.

Uma das razões para a afirmação de Paula é que o estresse em excesso diminui a imunidade, em um momento que o corpo mais precisa. “Temos observado pacientes com dores de cabeça, mal-estar e dor de garganta, que podem ser associados à gripe e também ao Covid-19, porém, pode ser somente o excesso de ansiedade”, relata.

Por isso, ela recomenda a adoção de rotinas, exercícios físicos, alimentação saudável, sono regular e hidratação. “O estado psicológico influencia muito na condição de saúde e é preciso escolher um momento do dia para se ‘desligar’”, assevera. Isso porque ela recomenda que sejam acompanhadas as notícias sobre a pandemia nos veículos de comunicação, especialmente sobre prevenção, porém, o acesso às redes sociais e grupos de WhatsApp, onde circulam muitas notícias falsas, pode aumentar a sensação de ansiedade e levar a crises de pânico. “É importante estar informado, porém, não é necessário fazer isso o tempo todo. É melhor aproveitar parte deste tempo para si, aproveitar as coisas boas que tem e se preparar, se planejar, para o retorno à normalidade. Enquanto isso não acontece, recomendamos que permaneça em casa e procure um profissional para realizar o acompanhamento”, acrescenta.

[BOX]

Dicas

- Faça exercícios

- Mantenha um cliclo de sono regular

- Ocupe seu tempo com atividades que mantenham o bom humor

- Acompanhe as notícias, mas não torne isso uma obsessão

- Alimente-se bem

- Beba bastante água

- Estabeleça uma rotina

- Separe um momento para se ‘desligar’ das notícias negativas

- Evite se informar por grupos conhecidos por espalhar notícias falsas

- Medite, reze, tenha contato com a sua fé

- Mantenha atitude positiva

- Planeje os próximos passos até o retorno à normalidade

Deixe sua opinião