Prós e contras da cerimônia de posse do secretariado
Publicado em 12/01/2013

Política

O ato que marcou a posse do primeiro escalão de Dudu Colombo foi repleto de inovações positivas e alguns contratempos. O pior, sem dúvida, foi a escolha do local. Com a posse de 25 integrantes, entre secretários e coordenadores, era óbvio que o salão nobre da Prefeitura ficaria pequeno. E parece que ninguém se deu conta disso. Até porque uma cerimônia de tal envergadura comporta parentes, amigos, correligionários e colegas dos empossados, bem como imprensa e autoridades. Havia pessoas esparramadas, literalmente, pelos corredores, nas escadas de acesso ao salão nobre, pelo salão oval e até as portas do gabinete do prefeito foram abertas para comportar o público. 
Outro fato bastante difícil foi a falta de água mineral gelada para oferecer aos presentes. O único bebedouro disponível fica em um corredor entre os salões nobre e oval. Acontece que o aparelho não estava ligado. E a água saía à temperatura ambiente - o que com a quantidade de pessoas parecia uma água para chimarrão. Nesse ponto, entretanto, houve boa vontade da equipe da prefeitura, buscando atender da melhor forma a quem solicitava o líquido gelado.
Entretanto, há de se destacar um lado extremamente positivo em relação ao atendimento prestado aos veículos de comunicação. Antes do início da solenidade, os secretários e coordenadores ficaram à disposição da imprensa, no salão oval. Como o ato estava marcado para às 20h e jornais, rádios e televisão têm horários para fechamento, proporcionar um contato antes dos discursos para facilitar a cobertura jornalística do evento merece louvor. Os profissionais puderam conversar com quem quiseram, inclusive com o próprio prefeito Dudu Colombo. 

Deixe sua opinião