No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

País asiático começa a controlar novo coronavírus
Projeção é de aumento na exportação de carnes para a China
Publicado em 21/03/2020

Rural

Foto: Fernando Dias/EspecialFS

Cenário poderá favorecer pecuária gaúcha

O ritmo dos embarques de carne brasileira para a China deve aumentar nas próximas semanas. É o que aponta notícia divulgada no site Agrolink, com  do Rabobank. Isso porque o país asiático anunciou que conseguiu controlar o surto do novo coronavírus, lá onde foi o epicentro da pandemia. 

De acordo com o portal especializado da CarneTec Brasil, as exportações de carne bovina brasileira para a China foram impactadas no início do ano pela redução no ritmo das operações nos portos e da distribuição de produtos no país asiático enquanto os chineses buscavam controlar a doença. “Informações recentes de que o número de novos casos na China está diminuindo indicam que o controle do vírus está próximo e os embarques devem retomar com mais força nas próximas semanas”, escreveram analistas do banco. 

“O Rabobank manteve as estimativas de crescimento de 10,6% no volume de exportações brasileiras totais de carne bovina em 2020 e de 3,5% na produção, conforme divulgou ao final de 2019”, completou o portal. 

Em relação ao mercado doméstico, o Rabobank anunciou que tem expectativas positivas para a demanda por carne bovina, mas ponderou que o avanço acelerado de novos casos de coronavírus pode impactar negativamente a oferta nacional. De acordo com o Banco, na hipótese de um agravamento ainda maior no número de casos, pode ser que haja uma interrupção de alguns fluxos comerciais. 

Os principais frigoríficos do país já estão dando férias coletivas para os colaboradores, como é o caso da JBS, que anunciou férias coletivas em cinco plantas por 20 dias. “Essas suspensões temporárias são comuns em resposta às dinâmicas do mercado, sendo que a companhia continua com operações normais nas demais 32 unidades de bovinos”, disse a empresa em nota. 

Deixe sua opinião