Programa prevê melhorias das redes de distribuição no meio rural
Publicado em 08/07/2020

Rural

Foto: Fernando C. Vieira/especial FS

Postes de madeira serão substituídos por de concreto

Depois de tramitar na Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), o Energia Forte no Campo seguirá agora um cronograma para a busca e a efetivação de recursos no governo do Estado. O programa prevê melhoria das redes de distribuição no meio rural, com investimentos em complementação de fases e substituição de postes de madeira por concreto. Também contempla reformas da rede, instalação de transformadores, modernização nos sistemas de segurança e adequação dos níveis de tensão.
O secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, e o secretário-adjunto, Paulo Pereira, se reuniram com integrantes da Federação das Cooperativas de Energia, Telefonia e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul (Fecoergs) para atualizar o andamento do programa.
A iniciativa é vista pelas cooperativas como um caminho importante para a retomada da economia e garantia de desenvolvimento. A secretaria vai manter uma comunicação direta entre prefeituras e cooperativas para acompanhar o andamento. “É um projeto considerado prioritário. Conversaremos com o governador e, apesar da queda de arrecadação neste período de pandemia, estamos focados em garantir estes recursos”, disse o secretário Artur Lemos.

BOX
Energia Forte No Campo
Programa  estabelece linha de crédito de R$ 20 milhões aos produtores. Desse total, R$ 11 milhões serão por meio de financiamento com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (Brde), com carência de até dois anos e até oito anos para pagamento, R$ 3 milhões virão de cooperativas e R$ 2 milhões, de prefeituras. O governo do Estado já garantiu a destinação de R$ 4 milhões para o programa. “Inicialmente, estamos contando com 50% do montante para investimentos em curto prazo e o restante em uma segunda fase”, informou o secretário-adjunto.

Deixe sua opinião