Professores da rede estadual de ensino recebem treinamento para uso de tablets
Publicado em 03/05/2013

Geral

Foto: -

A responsável pelo NTE afirma que a formação será continuada

Depois do ato simbólico de entrega dos tablets, no dia 16 de abril, a 13ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) realiza a formação dos professores de ensino médio da rede estadual da região para que os mestres aprendam a usar o equipamento. Os tablets fazem parte do programa RS Mais Digital e visam modernizar os processos educativos, melhorando a qualidade do ensino estadual.
Ontem à noite, os professores das escolas Waldemar Amorety Machado, Luís Mércio Teixeira e José Gomes Filho receberam as primeiras instruções. A responsável pelo Núcleo de Tecnologia Escolar (NTE), Cristina Pereira, explicou que o primeiro contato ensina aos profissionais a fazer atividades básicas no equipamento. “Nós mostramos como desbloquear e vincular o tablet ao professor”, fala. O aparelho fica de posse do professor enquanto ele atuar em sala de aula.
A formação deve ser continuada e acontece em oito polos. Cada encontro reúne uma média de 50 professores. Nas próximas reuniões, que devem acontecer dentro de um mês, as explicações irão avançar, mas Cristina diz que os mestres podem começar a usar a tecnologia durante as aulas. “Eles já podem elaborar atividades para os alunos e materiais de pesquisa”, conta. A responsável acredita que a ferramenta corresponde ao nível dos estudantes do ensino médio e que eles, por trabalharem com os laptops anteriormente,  vão saber lidar com o equipamento. Quanto à expansão do projeto, Cristina diz que no futuro os alunos também vão receber os aparelhos.
A professora de Língua Portuguesa da Escola José Gomes Filho, Cristina Campão, comenta que a tecnologia vai ser positiva nas suas atividades. “Os alunos têm celulares informatizados e sempre perguntavam se podem usar a internet. Os tablets vão facilitar esse acesso”, diz. Cristina lembra que o quadro negro não é mais adequado para os estudantes. “Vai enriquecer as minhas aulas, principalmente os textos e a parte gramatical”, argumenta.
Já Leila Ledir Gonçalves, que ensina História e Sociologia, acredita que seria mais proveitoso se os alunos recebessem os tablets. “Vai ser bom para nós. Mas a distribuição dos aparelhos deveria começar pelos estudantes”, conclui.

Deixe sua opinião