Boletim da Emater/RS-Ascar
Produtores de soja demonstram preocupação com falta de chuvas
Publicado em 15/02/2020

Rural

A Emater/RS-Ascar informou na quinta-feira, em seu Informativo Conjuntural, a situação das lavouras de soja no Rio Grande do Sul. Conforme a instituição da assistência e extensão rural, em geral, as lavouras apresentam bom desenvolvimento, mas a restrição hídrica aponta para a diminuição da produtividade da cultura. Segundo a Emater, os produtores estão preocupados e aguardam a ocorrência de chuvas adequadas. As fases da lavoura são as seguintes: 12% na fase de desenvolvimento vegetativo, 32% em floração, 51% na fase de enchimento de grãos e em 5% das lavouras a cultura está madura e por colher. Na região de Bagé, o preço continuou oscilando entre R$ 71 e R$ 86 a saca de 60 quilos da oleaginosa.

Em Hulha Negra, a falta de chuvas na semana afetou negativamente as lavouras, principalmente as implantadas com cultivares de ciclo precoce que estão na fase de enchimento de grãos, observando-se grande perda de folhas, vagens e amarelecimento das plantas até o terço superior.

Já as lavouras de ciclo médio, que estão em fase de floração e em início de enchimento dos grãos, têm maior capacidade de recuperação se chover nos próximos dias. As lavouras que apresentam melhor resistência das plantas ao estresse hídrico e térmico são aquelas implantadas em áreas de plantio direto, com boa quantidade de palhada. Em relação à fitossanidade, são realizadas aplicações de inseticidas e fungicidas somente em dias oportunos, de forma a evitar dias muito quentes e com ventos fortes.

Alguns produtores realizam aplicações de fungicidas nas lavouras em estágio de desenvolvimento mais adiantado. A incidência de lagartas é reduzida, mas aumenta a presença de percevejos; o clima seco também favorece a ocorrência de ácaros e tripes.

Deixe sua opinião