Primeiro de maio – uma data para reflexão e ação
Publicado em 01/05/2020

Editorial

Em plena crise global, em razão da pandemia do coronavírus que tem ocasionado desemprego em massa, a data 1º de maio é consagrada ao trabalhador – é o Dia Internacional do Trabalho. Muitos devem se perguntar se há o que ser comemorado? Essa é uma data lembrada em todo o mundo – esse planeta que hoje está à mercê do vírus que ceifa vidas e a economia. Mas, em meio a isso, a vida tem que prevalecer e o trabalho tem que ser garantido. Portanto, que a data sirva muito mais para reflexão e também como gratidão, por mais que os dias estejam sendo cinzas em função do momento de incerteza, temos que levar em conta a legião de trabalhadores que vai às ruas garantir o sustento e o bem-estar daqueles que trabalham em casa e de outros que são obrigados a ficar em  casa. São aqueles que estão na linha de frente desde que pandemia provocou caos mundo afora.  Que seria daqueles que estão em casa, se não fossem os profissionais de saúde – os baluartes que lutam pela vida nesse momento. Sem os caminhoneiros, bem como tantos outros profissionais que têm que ir trabalhar, para que essa roda, chamada mundo, não pare de girar.  Mesmo com o mercado de trabalho comprometido devido à pandemia e, por consequência, o aumento da desigualdade e pobreza, que infelizmente é inevitável em uma crise sem precedentes como essa, é imperativo levantar a cabeça e arregaçar as mangas para que a locomotiva retorne aos trilhos. Mais do que nunca, as relações de trabalho serão repensadas a partir desse dia 1º de maio de 2020.

OLHO:  "A vida tem que prevalecer e o trabalho tem que ser garantido"

Deixe sua opinião