Presidente do STR Bagé reforça importância de reflexão sobre dia dos trabalhadores rurais
Publicado em 21/05/2020

Rural

Foto: Arquivo/FS

Wild: momento é de perda de direitos e precarização de garantias trabalhistas

Na próxima segunda-feira, comemora-se o dia do Trabalhador e da Trabalhadora Rural.  O presidente do Sindicato dos trabalhadores Rurais, Nelson Wild, reitera que a data, atualmente, não é de celebração, mas, sim, de reflexão sobre o atual momento da categoria no Brasil.

“Desde o governo Michel Temer há uma sucessão de perda de direitos aos trabalhadores e assalariados rurais, uma profunda precarização das garantias trabalhistas e, agora, aliado à problemática crise de saúde gerada com a pandemia do coronavírus, reforça-se ainda mais a necessidade de um olhar para esse público”, enfatiza o dirigente.  Wild comenta que as entidades voltadas à categoria, como a própria Fetag e Fetar, trabalham na divulgação de orientações para conscientização dos trabalhadores rurais para se prevenirem à covid-19. “É uma época difícil, mas devemos manter a nossa força e lutar para que agricultores, pecuaristas, trabalhadores e assalariados rurais possam superar esse momento de crise”, ressalta.

BOX –  Legislação comemora 56 anos

A data de 25 de maio foi nomeada como “Dia do Trabalhador e da Trabalhadora Rural” a partir da Lei n.º 4.338, de 1° de maio de 1964. Em 1971, foi instituído o Programa de Assistência ao Trabalhador Rural, que criou o Funrural. Entre os direitos adquiridos com a legislação, estavam: a assistência médica, gabinetes odontológicos, aposentadoria com meio salário para o homem, aposentadoria por invalidez, pensão para a mulher, entre outras. A Lei Complementar foi denominada Lei Fernando Ferrari, em homenagem ao deputado que foi reconhecido por defender as causas do público trabalhador rural.

Deixe sua opinião