Presidente da Arco aponta metas para 2020
Publicado em 21/01/2020

Rural

Foto: João A. M. Filho

Entidade completou 78 anos no sábado

A Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco) comemorou, no sábado, dia 18, os seus 78 anos de atividades em prol da ovinocultura. Para este ano, o presidente Edemundo Gressler diz que  2020 iniciou extremamente positivo para a ovinocultura. “2019 nos deu uma sacudida, o mercado nos exigiu maior eficiência e profissionalização – de nós entidade e de nós produtores – e tenho certeza que estamos crescendo a passos largos para atender a demanda da carne, do leite, da lã e das peles”, avalia Gressler.
O dirigente ainda lembra a importância de elevar o número do rebanho brasileiro de ovinos, citando como exemplo o Rio Grande do Sul que na década de 1970 tinha a quantidade de ovelhas que hoje tem o Brasil inteiro. “Nosso Estado, segundo o IBGE, possui três milhões de ovinos e nossa meta é chegar ao final de 2020 com, pelo menos, 3,5 milhões”, revela o presidente.
Gressler aponta que o desenvolvimento da produção passa pelo aperfeiçoamento e pela pesquisa, “temos que estar junto às instituições que promovem a pesquisa e o experimento e trazer estes resultados para a nossa realidade”. “Isto é primordial para termos segurança em nosso trabalho e estarmos alinhados ao que o mercado exige de uma boa e eficiente ovinocultura”, conclui.
Eficiência em registro e organização da cadeia
Conforme a assessoria de comunicação da Arco, investimentos feitos em tecnologia fizeram com que a entidade tenha praticamente 100% dos seus serviços feitos via internet, sem uso de papel, o que, além de dar agilidade às informações e comunicados feitos pelos associados, revela uma responsabilidade ambiental pelo baixo uso de papel.
Além da eficiência no registro, a entidade está também direcionada ao trabalho de organização da cadeia e fomento da produção através de convênios e parcerias com instituições de pesquisa e extensão que auxiliam a promover o desenvolvimento genético das raças e o aumento dos rebanhos. Este um grande desafio para a ovinocultura nacional – aumentar a oferta do produto ovelha.

Deixe sua opinião