Por menos crimes
Publicado em 18/06/2014

Editorial

por Felipe Valduga
felipelvalduga@gmail.com

Uma proposta que tramita na Câmara Federal tem chamado a atenção do setor empresarial. Isto porque a iniciativa, caso sancionada em nível federal, trará penas graves a quem adquirir, distribuir, transportar, estocar, revender ou expor à venda quaisquer bens ou mercadorias provenientes de atos criminosos.
Na prática, o proprietário ou sócio de empresa que desobedecer este procedimento será impedido de continuar a exercer o mesmo ramo de atividade, ainda que em estabelecimento diferente, por um período de dez anos.
É um legítimo ultimato para a clandestinidade do setor comercial. E até mesmo justo. Ora, se quem segue os trâmites legais arca com pesados impostos e mesmo dilemas logísticos em viabilizar tais procedimentos, não é aceitável que outros, por trás das cortinas, deem um drible nestes quesitos e passem a garantir consideráveis vantagens.
Por consequência, a tendência da proposta é que os crimes possam vir a diminuir. Ao menos os que tratam de roubo. Até porque de que adiantará furtar itens de alto valor, por exemplo, se não haverá a quem repassar – com exceção de pequenos casos?
É notório que o crime, seja ele de qualquer natureza, vem em uma crescente considerável nos últimos tempos. Não apenas no país. Os motivadores são inúmeros. Os índices até mesmo assustam. Mas se iniciativas – mesmo aquelas que possam ter pequenos reflexos – forem estimuladas, há de se encontra soluções, a curto, médio ou longo prazo.

Deixe sua opinião