No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Pautas da agenda do governador em exercício têm como foco a Metade Sul
Publicado em 21/01/2020

Política

Foto: Márcia Sousa

Eduardo Leite cumprimentou Lara pela trajetória política

Com pautas voltadas para o desenvolvimento econômico e social, o presidente da Assembleia Legislativa, Luís Augusto Lara, tomou posse como governador interino, no início da noite de domingo, no Palácio Piratini. A transmissão de cargo foi feita pelo governador Eduardo Leite, no salão Negrinho do Pastoreio.
Lideranças da região marcaram presença, entre elas, o presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Adriano Esquerda, e o vice-presidente do Legislativo, Carlinhos do Papelão – ambos do PTB.
Por volta das 18h15min, Lara saiu da Assembleia Legislativa e atravessou a rua para chegar ao prédio mais importante do Estado, onde assumiu o cargo mais alto do Rio Grande do Sul. Antes de entrar no Palácio Piratini, ele empossou como presidente interino do parlamento gaúcho, o deputado Edegar Pretto (PT).
Embora o bageense fique dois dias como governador em exercício, a agenda será intensa nesse período e com foco nas demandas da Metade Sul e Bagé. Tanto que logo que assumiu o cargo, a segunda reunião da noite de domingo, no gabinete do governador, foi com algumas lideranças e profissionais de imprensa de Bagé, Pelotas e Santana do Livramento. Nessa reunião informal, com a presença do jornal Folha do Sul, Lara falou sobre as demandas dessa região do Estado e, sobretudo, da situação das santas casas e hospitais filantrópicos. Toda a atenção foi para os pleitos da Zona Sul, Campanha e Fronteira Oeste. Na ocasião, ele ouviu e acatou sugestões dos presentes.
Reconhecimento ao trabalho do parlamento 
Em um discurso breve logo após a assinatura do termo de transmissão de posse do cargo, Eduardo Leite disse que  a medida não é só uma questão legal, mas também um ato representativo. “Está nos termos da lei, mas é também uma questão simbólica de confiança recíproca estabelecida entre os chefes de dois poderes. Ao longo de 2019, o deputado Lara demonstrou o compromisso com o Estado que já foi observado em toda a vida política”, afirmou.
Eduardo Leite falou que o bageense conhece muito mais que ele o Palácio Piratini, pois já foi secretário de Estado em em três gestões.
O governador cumpre agenda em São Paulo onde participa de debates sobre gestão púbica e de reuniões com empresas que estão instaladas no Estado. O vice-governador participa de reuniões em Brasília, uma delas com o ministro da Justiça, Sérgio Moro.
Em sua manifestação, Lara enfatizou que o gesto do  governador em passar o cargo nesse período foi mais um gesto para Assembleia Legislativa do que para um deputado. “Vejo esse seu ato com uma homenagem à Assembleia Legislativa”, pontuou o parlamentar.
O deputado comentou que o parlamento gaúcho “cortou na carne” ao cortar privilégios como o auxílio-mudança e enxugou gastos em outras frentes. Isso representou uma economia de R$ 148,9 milhões do orçamento que serão devolvidos ao Executivo nesta semana. O bageense defende que o exemplo tem que partir dos próprios deputados, diante da crise que atravessa o Estado.
Depois, o governador em exercício disse que nesse período em que estiver no cargo vai tratar de pautas que foram previamente estabelecidas com a equipe do Palácio Piratini.
Demandas de Bagé
A segunda-feira começou com despachos internos e outras agendas. Às 14h, ocorreu uma reunião com as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes), Ligas Femininas de Combate ao Câncer e o Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (Imama). Na pauta, a contrapartida da Lei de Solidariedade para essas entidades. O encontro contou com a presença dos secretários estaduais da Fazenda, Saúde e do Trabalho e Assistência Social. 
Na sequência, a reunião foi com a Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do RS. O foco deste encontrou com a contrapartida da Lei de Incentivo à Saúde.
No final da tarde, o encontro foi com prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, deputados estaduais, Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Associação Gaúcha Municipalista (AGM) e União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (Uvergs). A pauta da reunião foi a  Lei de Incentivo à Saúde e Valores que Ficam (destinação do imposto de renda).
Nesta terça-feira, o foco são duas demandas de Bagé. O encaminhamento do ofício que inclui uma escola cívico-militar para receber recursos do programa do governo Federal e tratar da municipalização do trecho da ERS-473 do Cemitério da Santa Casa até o trevo de acesso ao Aeroporto Comandante Gustavo Kraemer. O prefeito Divaldo Lara vai estar presente.

Além disso Lara vai se reunir com lideranças dos municípios afetados pela estiagem.

Deixe sua opinião