Papo de elevador - 25 de setembro
Publicado em 25/09/2019

Papo de Elevador

Foto: Reprodução/FS

Dajúlia é presidente do PT e assessor de Mainardi

Dajúlia e a CGTEE
Segunda-feira, o jornal Folha do Sul publicou que o presidente do PT de Bagé, Flavius “Dajúlia” Borba, venceu ação trabalhista contra a CGTEE, onde exerceu funções por oito anos como cargo de confiança assessor da presidência da estatal, ganhando R$ 19 mil por mês. Houve quem questionasse “errou o juiz, é isso?” Não. Não é isso que abordou a matéria. 

Eis a questão
Alguém da esquerda pode se fazer de falso sonso e afirmar que o jornal está contra a Justiça. Não. Não é isso. Quem tem a mania de ser contra a Justiça é o pessoal do “Lula livre”. A informação do jornal é que um dirigente do PT, representante de uma facção política, que discursa a favor das empresas públicas, dizendo que “os outros querem destruí-las”, faz o que fez, sendo cargo de confiança reclamou direitos após oito anos no cargo público, ganhando com isso R$ 891 mil. 

O discurso e a prática
Trocando em miúdos, o jornal quer alertar para esse “amor petista pelo público”. Imagina o ódio!? Pois esse discurso mentiroso e “engana bobo” enoja. É repugnante. Basta observar o que aconteceu. A CGTEE não é de um partido. É pública. Se Dajúlia recebeu a missão de assessorar a presidência, de ajudar a fazer a companhia melhor, ele que é do PT e tanto diz que protege as empresas públicas, não pode querer prejudicar a estatal no momento em que sai da empresa. Ela deixou de ser pública? Deixou de ser a “queridinha dos discursos”?

Justiça pública
Aí, alguns esquerdistas escrevem em redes sociais contra o jornal e este colunista. Fortes xingamentos. Mas, ora. Esses deveriam agradecer a publicação da matéria e pedir desculpas por causar esses prejuízos ao consumidor, ao contribuinte brasileiro. Não dá para inverter a ordem das coisas. O que é isso agora? Não. Eu e a editora do jornal estamos aqui, sentados, esperando as desculpas e os parabéns por dar luz a uma ação judicial tão simbólica e significativa, que é pública. 

O assessor de Mainardi
Talvez, a raiva maior nessa história toda é que a revelação prejudica o ensaio de um grupo de esquerda para a eleição municipal do próximo ano. O grupo pressiona o deputado Mainardi para que ele seja o candidato. E o ganhador da causa que deixa um rombo de quase R$ 900 mil na CGTEE é assessor de Mainardi, alguém próximo do pretenso futuro candidato a prefeito. Isso é ruim para os planos do PT e de seus puxadinhos.

Rombo é um buraco
Por falar em rombo, há quem confundisse por interesse excuso a palavra rombo com roubo. São palavras com significados diferentes, a conveniência nesse caso é para levar à Justiça a divulgação de um fato público. Isso é coisa de quem não gosta de democracia, mas que, também neste caso, utiliza-se do discurso demagógico de que é democrata. 
Em tempo: rombo é um furo com tamanho além do normal. Rombo é um buraco, no caso, financeiro.   

O chefe do chefe
Aliás, sobre essa história de Dajúlia ser assessor de Mainardi na Assembleia Legislativa e ser presidente do PT significa que quem manda mesmo no PT é o Mainardi, pois se Mainardi é o chefe de Dajúlia na Assembleia, ele manda no Dajúlia e manda no PT de Bagé. Entenderam? No tempo do Dudu Colombo também era assim?   

Em defesa das estatais
Soube pelo vereador presidente do legislativo municipal, Esquerda Carneiro, que há uma agenda do PT na Câmara para audiência pública em defesa das estatais, também soube que houve parlamentar que alertou sobre os discursos que farão na audiência, para que, logo ali, os petistas não voltem a cair em contradição. Foi um conselho. Como se adiantasse! Aconselhar petista é como jogar xadrez com pombos. Sabe dessa história?

Xadrez com pombos
Há uma história, por corruptela, a afirmar que: aconselhar, debater ou apenas tentar convencer um petista é como jogar xadrez com pombos. Não importa o quanto tu saibas jogar. O pombo irá derrubar as peças, fazer cocô no tabuleiro e ainda sair de peito estufado cantando vitória. 
Essa mesma história já está sendo usada pelos petistas para os bolsonaristas ou bolsominions ou bozos. 

Kirschner lá
No domingo, quando o Folha do Sul ligou para os dois números do telefone de Flavius Dajúlia e em um aparelho a ligação não completava e o outro ia direto para o sinal de ocupado, tentou-se saber onde estava e se havia outra forma de entrar em contato. Nada. Dajúlia estava na Argentina. 
Pensei: -  Campanha para Alberto Fernandez e Cristina Kirschner? Quem sabe? O PT é um defensor da corrente de esquerda em toda a América Latina. 
E quando o PT é defensor de uma coisa... ai, ai, ai. 
 

Deixe sua opinião