Outra face da força
Publicado em 05/11/2015

Editorial

A referência de Bagé como cidade sede de unidades das Forças Militares é um fato mais que conhecido. Isso remete, de forma óbvia, de que aqui estão instalados grupos destinados a atender as necessidades de segurança do país, sempre que necessário.
E isso faz com que muitos jovens daqui, até pela proximidade, optem por investir em uma carreira militar. E nada mais justo. Primeiro porque se trata de uma atuação voltada ao atendimento de uma demanda de toda a população da nação. Mas, também, pelos louros que podem ser obtidos a partir disso, em especial no que tange à área de conhecimentos, sempre estimulados de forma incisiva pelo poder militar.
Mas este cenário de cidade militar acaba culminando, em algumas ocasiões, na possibilidade de visualização de ações que vão muito além da tarefa de proteger. Iniciativas do Exército desenvolvidas nesta semana, cujo objetivo é integrar a força nas comunidades, possibilitou o registro de trabalhos que resultam em um benefício direto para a população.
A Ação Cívico-social (Aciso) realizada pelo 3º Batalhão Logístico, durante o feriado de finados, no bairro Morgado Rosa, por exemplo, atendeu mais de 300 bageenses com serviços médicos, odontológicos, cortes de cabelo, bem como na disponibilização de informações sobre retirada de documentos e outras questões voltadas à área militar. Não bastasse, a medida ainda se repetiu em Dom Pedrito e, hoje, volta a acontecer em Livramento.
Podem até ser ações simbólicas, por parte do Exército, mas, certamente, significam muito para quem é atendido. Em especial no caso de cidadãos para os quais, no dia a dia, uma simples visita ao médico é uma árdua tarefa. São trabalhos como estes que sempre merecerão registros e aplausos, porque demonstram, de forma bem objetiva, uma outra face da força – no caso, do Exército.

Deixe sua opinião