No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Novo titular da SDI garante que programas e projetos serão mantidos até final do ano
Publicado em 15/11/2019

Geral

Foto: Niela Bittencourt

Dal Molin afirmou que tudo será reavaliado para 2020

O novo titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Alencar Dal Molin, afirmou que programas e projetos da pasta serão mantidos até o final do ano. Ele explicou que a secretaria tem uma formatação desde o início do governo, com programas que são desenvolvidos a cada ano ou seis meses, por exemplo, ou ainda de acordo com calendário já estipulado. "Essas metas, projetos e programas, vamos manter de acordo com o calendário até o final de 2019", garantiu. Após esse período, tudo será reavaliado. "Para o ano que vem poderão ser mantidos todos ou, se tomarmos uma decisão diferente, vamos comunicar", pontuou. O secretário destacou a dificuldade financeira pela qual passa a prefeitura e os consequentes contingenciamentos. "Há eventos que demandam recursos. Precisamos analisar se vale a pena fazer quando tem um custo muito alto para a prefeitura", explicou, salientando que pretende definir isso com o prefeito Manoel Machado.

Procon
O Procon está com um novo coordenador: o advogado Carlos Eduardo Simões Pires. Dal Molin definiu que o órgão está muito bem estruturado. "E vai melhorar ainda a condição de atendimento em razão de um recurso de um Termo de Ajustamento de Conduta que o Ministério Público Federal repassou para que fosse utilizado em capacitação", mencionou. Ele defendeu que o órgão tem que ser de excelência no que diz respeito ao atendimento. "Tem que ser capaz, eficiente, atender bem as pessoas", definiu. 

Casa do Empreendedor
Mais um espaço que está com um novo coordenador: Marcelo Nalério assumiu a Casa do Empreendedor. E, pontuou o secretário, a casa está organizada. "Temos que fazer uma digressão de tudo o que a Casa do Empreendedor tem que fazer para as coisas acontecerem", acrescentou. Além de formalizar os informais, para o secretário, a equipe precisa, por exemplo, auxiliar uma família que chega ao local porque está desempregada e busca alternativas. "Vamos ter que ter uma ferramenta para poder informar, auxiliar, dar uma ideia daquilo que possa ser a formalização. Além de fazer a formalização, na Casa do Empreendedor, precisamos montar uma forma de auxiliar também no dia a dia, propor cursos", disse, ao acrescentar que ainda é preciso estudar a viabilidade disso. "Mas nós vamos tentar", falou.

Casa do Mel, Núcleo Moveleiros do Pampa e artesanato
Sobre a Casa do Mel, Dal Molin lembrou que a ideia é proporcionar que as pessoas produzam, além de criar condições para que elas consigam fazer as produções e tenham como comercializar esses produtos. Ele também mencionou a estrutura do Núcleo Moveleiros do Pampa, mas admitiu que ainda não está apropriado de tudo o que está sendo feito no espaço. "Não recebi a transição. Estou recebendo informações de quem atua nos setores", asseverou. Já sobre os artesãos, ressaltou que tudo (as feiras e o programa em si) será mantido e que em breve deverá se reunir com eles. 

Método de trabalho
Dal Molin comentou que está ouvindo aqueles que atuam nos setores para se apropriar do trabalho. E argumentou que todos é que farão o trabalho. "A secretaria é de todos os nossos servidores. Eu sou mais um servidor que está aqui para ajudar. Não sou o secretário que vai resolver tudo. Vou ouvir muito as pessoas", afirmou. 

Sábados Azuis 
A programação do Sábados Azuis já estava definida: a última do ano ocorre dia 30 de novembro (se o tempo permitir). Será a décima quinta edição do projeto. O diretor da Indústria e Comércio, Ismael Amilivia, comentou que o Sábados Azuis se trata de um case de sucesso da secretaria: "É um dos programas que certamente irá permanecer". Ele lembrou que a SDI tem mais de 200 empresas cadastradas e que o custo para participar é zero. Porém, Dal Molin, sobre o próximo ano, disse: "Dois mil e vinte é 2020, é para frente. Eu preciso tomar pé, saber o resultado". 

Centro Popular de Compras 
Dal Molin mais uma vez admitiu que não está inteirado sobre a situação do Centro Popular de Compras, cuja estrutura foi implantada no Calçadão. Ele, porém, mencionou que tem conhecimento de que existem alguns entraves no projeto, alterações a serem feitas. Acrescentou que pediu uma agenda com o prefeito para tratar especificamente do CPC. "Nós temos ali, até onde sei, uma solução temporária. Mas mesmo assim, precisam ser feitos alguns ajustes e alterações naquele projeto", explicou. O secretário defendeu que pretende expor ao prefeito a definição de um local para os ambulantes. "Tem que fazer parte de um projeto dentro do governo"; e elucidou que a SDI não tem engenheiro, assessor jurídico, arquiteto ou conteúdo sobre o patrimônio do município. Um dia alguém terá que tomar uma providência para resolver", argumentou. "Há quanto tempo Bagé tem essa questão, que é de ordem social? Temos que pensar isso. Vamos resolver ali, mas, resolvido, por quanto tempo vai permanecer da forma como está? E depois? A minha ideia, a minha sugestão, será de que a gente pense nisso para mais adiante tentar resolver de forma bem mais consolidada", disse. 

Grandes redes
Questionado sobre se está mantido o diálogo com as grandes redes, como a Havan, Dal Molin falou que ainda não foi contatado, mas afirmou que aqueles que querem se estabelecer por aqui não serão impedidos. Contudo, enfatizou que a prioridade é fortalecer aqueles empreendimentos que já estão na Rainha da Fronteira. Sobretudo porque, por vezes, os de fora, quando não obtêm os resultados que esperavam, simplesmente fecham as portas. 

 

Deixe sua opinião