Nova esperança ao Justino
Publicado em 05/09/2015

Editorial

por Felipe Valduga
felipelvalduga@gmail.com

A orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que os trabalhos de reforma da Escola Justino Quintana, em Bagé, sejam entregues até março do próximo ano, como relata reportagem publicada na edição de hoje, reacendeu a esperança de alunos, pais e professores a respeito do retorno às aulas junto ao prédio da instituição de ensino.
É evidente que o anseio da comunidade para o fim da novela que envolve o empreendimento aumenta a cada dia. Com a informação, isso naturalmente se eleva. Até porque, na atualidade, estudantes e docentes estão à mercê de uma rotina nem tão agradável, já que acabam tendo que se descolar até outras repartições para a realização das aulas.
A volta ao antigo prédio será motivo de festa. Acabarão os empecilhos diários ocasionados pela demora do empreendimento. E é, de fato, isso que todos esperam. Se for para o início do período letivo, melhor ainda.
Mas é importante destacar que a informação de hoje não encerra nada. Muito ainda há de ser resolvido e todos os agentes envolvidos, seja comunidade escolar ou grupos políticos, deverão estar atentos e manter as cobranças em torno da obra.
Em um momento como o atual, em que Bagé perdeu, pelo fogo, outro prédio destinado à Educação – o da escola Mário Quintana – a demanda por espaços de ensino se tornou significantemente mais urgente. Quem sabe, da difícil empreitada da Justino não surja uma solução, mesmo que momentânea, para tantos outros jovens do município que buscam, no seu dia a dia, o conhecimento. É a nova esperança.

Deixe sua opinião