Nossa Serra
Publicado em 29/01/2014

Editorial

Felipe Valduga
felipelvalduga@gmail.com

A última década foi determinante para tornar a Campanha gaúcha um verdadeiro polo da vitivinicultura. Mesmo que ainda em ascensão e demandando um longo caminho para equilibrar seu sucesso com o obtido pela região da Serra, não pode-se dizer que este futuro é inalcançável.
É preciso, contudo, ampliar as possibilidades. O potencial proporcionado pelo solo e clima característicos dessa região carece, ainda, de mais estrutura. Ora, as produções estão cada vez melhores e conquistando mais o mercado. Porém, é válido lembrar, jamais foi desenvolvida uma pesquisa, in loco, que atestasse qual o melhor método de plantio ou mesmo a melhor derivação de uva para esta região.
E é exatamente neste sentido que, ontem, em Dom Pedrito, foi confirmado o repasse de valores, pelo Estado, para a implantação de um vinhedo focado para estudos junto ao campus da Universidade Federal do Pampa do município. O tema, aliás, já difundido pela FOLHA do SUL, em publicação de 21 de novembro de 2013, explicava o andamento do projeto e os seus benefícios, caso confirmado.
Agora, o caminho está traçado. Dom Pedrito já contava com um curso de Enologia, que forma os profissionais mais necessários para garantir o sucesso de cada empresa que aqui decidir se instalar. É o passo básico para qualquer mercado: qualificar mão de obra e, acima de tudo, incentivar o aperfeiçoamento das práticas sem parar.
Esperemos que, deste modo, o desenvolvimento deste setor tenha reflexos contundentes não apenas aos empresários ou produtores, mas para toda a sociedade. Quem sabe, daqui há não muito tempo, possamos chamar a Campanha de “nossa Serra”.

Deixe sua opinião