No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Município volta a registrar queda nos índices de inadimplência
Publicado em 14/12/2019

Geral

Foto: Niela Bittencourt

Economia acompanha reação nacional

O Serviço Central de Proteção ao Crédito registrou queda na inadimplência no mês de novembro. Isso quando o período é comparado ao mesmo do ano passado. Uma queda nos índices não ocorria desde julho deste ano. Ou seja, entre agosto e outubro, o SCPC Bagé verificou aumento nos índices de endividamento. No mês passado, porém, 1 180 bageenses tiveram os CPFs "negativados", 154 a menos do que no mês de novembro de 2018. O período também foi de aumento nas reabilitações, ainda que pequena: em novembro deste ano, 1 417 bageenses conseguiram recuperar o crédito "na praça", 25 a mais do que no mesmo período do ano passado.
Outro número que chama atenção é o de pedidos por informações. Houve redução: foram 24 144 em novembro de 2018; mas apenas 22 748 no mês passado, uma diferença de 1 396 consumidores. Os dados foram divulgados pelo diretor do Serviço Central de Proteção ao Crédito de Bagé, Francisco de Paula Maciel Pinto. 
Quando os dados de novembro são comparados ao mês de outubro, também é possível afirmar que a Rainha da Fronteira registrou queda na inadimplência. Em outubro deste ano, foram contabilizados 1 648 novos registros, 468 negativações a mais do que no mês de novembro.
As reabilitações de crédito, por outro lado, também apresentaram aumento. Foram 1 310 consumidores que conseguiram "limpar o nome" no mês de outubro. Em novembro, foram 1417; ou seja, 107 a mais.  
O acumulado do ano, até agora, aponta apenas uma pequena redução no índice da inadimplência. Confira a comparação dos mesmos períodos de 2018 e 2019: de janeiro a novembro deste ano, 16 764 consumidores conseguiram "limpar o nome"; em 2018, esse montante foi de 16 478. Ou seja, menos bageenses conseguiram recuperar o crédito, pelo menos, até agora, em 2019. E nos mesmos 11 meses, o SCPC registrou 21 218 devedores. De janeiro a novembro do ano passado, foram 21 233 novos registros. A diferença é pequena: 15 consumidores a mesmo. Mas há queda, ainda assim, que corresponde a 0,07%. 

No país
De acordo com o SPC Brasil, é possível afirmar que há sinais evidentes de recuperação econômica, ainda que de forma moderada, uma vez que dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito mostram que o número de brasileiros com contas em atraso e registrados em cadastros de inadimplentes recuou 0,27% no mês de novembro na comparação com o mesmo período de 2018.
Embora a inadimplência do consumidor venha em trajetória de desaceleração. Ou seja, crescendo a patamares menores desde o final de 2018, é a primeira vez em mais de dois anos que o indicador apresenta um recuo. A última queda havia sido observada em setembro de 2017, quando o número de consumidores inadimplentes diminuiu em 0,88%.

 

Deixe sua opinião