Mais, Mais Médicos
Publicado em 17/01/2015

Editorial

por Felipe Valduga
felipelvalduga@gmail.com

Bastante criticado pela categoria de profissionais brasileiros – em especial sindicatos –, quando lançado, o programa Mais Médicos acabou, aos poucos, se firmando como uma espécie de solução para a defasagem de atendimentos em pontos distantes dos grandes centros urbanos, ou simplesmente abandonados das cidades.
Por meio da importação de profissionais, o governo possibilitou uma alternativa, mesmo que ainda momentânea, para que a população encontrasse, nos postos, médicos à disposição para consultas e outros procedimentos mais simples, mas tão importantes quanto os mais complexos.
É fato que a iniciativa tem como meta, a longo prazo, garantir que novos profissionais, daqui, sejam capacitados e assumam estes postos de trabalho. Contudo, até lá, são estes médicos, em sua maioria de nacionalidades diferentes, quem assumirão a responsabilidade de atender o povo brasileiro.
E como a demanda é grande, sempre clamando por mais atenção, o governo anunciou uma expansão. Nesta leva, Bagé, que já é contemplada pelo programa, pode vir a receber novos profissionais. Até porque, como a secretária de Saúde, Aura Stella Pereira, relata em reportagem publicada nesta edição, ainda existem vagas para o município.

Deixe sua opinião