Macaca encontrada pelo Núcleo será encaminhada para Pelotas
Publicado em 03/05/2013

Geral

Foto: Divulgação/FS

Animal foi mordido por cães

Um macaco surpreendeu uma moradora do centro da cidade, no último domingo, ao pular o muro de sua residência e permanecer no telhado. Ela teria telefonado para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, o Ibama, mas não foi atendida. Após contatar os Bombeiros, o animal caiu no pátio e foi atacado por cachorros. Ele foi salvo pela moradora. Mas, machucado, precisava de ajuda. O Núcleo Bageense de Proteção aos Animais foi chamado e, segundo a voluntária Patrícia Coradini, o animal foi resgatado. A intenção foi “quebrar um galho”.
Patrícia lembra que o Núcleo não resgata animais silvestres, até mesmo porque não conta com instalações adequadas ou profissionais especialistas nessa área. Contudo, para evitar que o estado de saúde do macaco fosse comprometido, o animal foi levado para a casa de um voluntário, dentro de uma caixa de transporte – destinada a cães. A veterinária plantonista atendeu o primata: descobriu que era uma fêmea e que se tratava de um macaco prego. Sem saber o que fazer, contatou um amigo veterinário, de Porto Alegre, que concedeu instruções para o atendimento.
Foi medicado e, agora, recupera-se. Está na casa do mesmo voluntário do NBPA. A veterinária buscou saber qual a alimentação ideal para a espécie e o necessário já é ofertado. Contudo, a expectativa era por um ambiente ideal. Conforme Patrícia, apenas ontem o Ibama entrou em contato, após várias investidas, informando que o animal será transportado para Pelotas, mais especificamente para um centro de reabilitação animal, na segunda-feira. Domesticado e dócil, Patrícia crê que se trata de um animal que sofria em cativeiro. Está cega de um olho e é um exemplar já com idade avançada.
A revolta de Patrícia, dos voluntários e de muitos que se manifestaram na internet, onde a macaca virou o centro de discussões na página do NBPA, é em relação ao não atendimento por parte do Ibama no domingo, quando o animal foi encontrado. “Ficamos indignados com o total descaso. Não existe atendimento e não é a primeira vez que isso acontece. Pouco agem”, argumentou. A reportagem procurou o Ibama e foi informada, por um funcionário, que não se identificou, que o animal irá para Pelotas. Ele disse que o Ibama não tem como receber um animal como esse porque não tem instalações adequadas para isso. Tampouco conta com plantonistas no final de semana, funcionando apenas de segunda a sexta-feira. Mas disse que quem poderia falar sobre o caso era o chefe do Ibama, que não se encontrava e que só estaria disponível hoje. A reportagem buscou contato por meio do telefone celular do responsável, porém não obteve êxito.

Deixe sua opinião