No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Dia 25 de agosto tem "O Guri"
Longa-metragem gaúcho estreia no Canal Brasil
Publicado em 21/08/2014

Cultura

Foto: Alina Souza / Especial FS

Polidoro e Escajedo foram os diretores de fotografia da produção de Brito

Um dos primeiros longas realizados pela novíssima geração do cinema gaúcho, o drama “O Guri” (2011/95’) tem estreia nacional na televisão confirmada para o dia 25 de agosto, a 0h15min, no Canal Brasil. O drama é o primeiro longa-metragem  do cineasta Zeca Brito e retrata um período de guerras em terras gaúchas. Perpassa as fases da infância e adolescência de Lucas (Lucas Quintana Domingues), que, aos 12 anos, passa por um momento de descoberta do eu e da sexualidade. Inteiramente rodado no interior do município de Bagé, o drama do menino Lucas é acompanhado dos dilemas das mulheres que governam a casa enquanto os homens promovem a guerra. Revela uma maldição: o menino é filho do sétimo filho homem do povoado.
Premiado melhor trilha sonora no Festival Internacional de Cinema Fantástico de São Paulo, em 2011, “O Guri” passou por diversos festivais nacionais e internacionais até chegar a uma nova fase de exibição na televisão aberta. Nas palavras do crítico Jean-Claude Bernardet, o filme marca "o nascimento de um novo talento cinematográfico no Brasil”. O cineasta Luiz Rosemberg Filho é mais incisivo: “radicalíssimo como linguagem experimental e imperceptível como essência, nos faz pensar em Lorca, Arrabal e Bellocchio”. O filme recebeu destaque na crítica portuguesa e foi exibido em mostras competitivas do Festin Lisboa e do Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela em 2012.
O filme é uma coprodução das produtoras gaúchas Coletivo Inconsciente, Besouro Filmes, Avalanche com as produtoras paulistas Delicetessen Filmes, Goiabada Producions e Muiraquitã Filmes.  “O Guri” contou com apoio da Prefeitura  de Bagé, Apema Maquinários e Estúdios Mega e foi realizado de forma independente, sem editais ou leis de incentivo.
“O Guri” foi o primeiro longa-metragem do jovem diretor Zeca Brito, que assina a direção de outros três projetos; Glauco do Brasil (rodado na França, Itália e  Brasil), documentário sobre a vida e obra do artista plástico Glauco Rodrigues; Central, documentário sobre o Presídio Central de Porto Alegre, ambos na fase de pós-produção, e a ficção do gênero comédia adolescente “Em 97 Era Assim”, que será rodado no primeiro semestre de 2015 e foi contemplado com o edital BO do Ministério da Cultura.

Sinopse

É tempo de guerra em terras gaúchas e, graças à ausência dos homens, são as mulheres que governam a fronteira. Lucas (Lucas Domingues) é o único que restou, mas ainda é um menino. Entre a infância e a adolescência, com 12 anos, o personagem passa por um momento de descoberta do eu e da sexualidade. Apesar da pouca idade, uma maldição já se anuncia: o jovem é filho do sétimo filho homem. Muito religiosa, sua mãe prefere não acreditar que Lucas possa se transformar em lobisomem. Sem entender direito o que acontece, mas percebendo sua anormalidade, o garoto é constantemente tomado por sentimentos e desejos obscuros. O lado assassino se manifesta, assim como seu aflorar sexual e vontade de poder. Diante de tantas descobertas, ele fica frente a frente com a loucura. O responsável por toda essa mistura de terror psicológico e drama é Zeca Brito.
Ficha técnica
Direção: Zeca Brito
Roteiro: Zeca Brito
Direção de arte: Virgínia Simone
Som: Tiago Bello
Montagem: Frederico Ruas e Lufe Bolline
Fotografia: Bruno Polidoro e Pablo Escajedo
Elenco: Lucas Domingues, Sandra Alencar, Luiza Ollé, Eliane Pacheco, Marilu Teixeira, Tatiana Vinhais, Rafael Tomini, Danny Gris e Yayá Vernieri.
Gênero: Drama
Duração: 95 minutos

Deixe sua opinião