No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Pacote da reforma estrutural do Estado
Lara: “São medidas muito duras que mexem na vida de muitas pessoas”
Publicado em 05/12/2019

Política

Foto: Michael Paz/especial

Deputado contou que sugeriu ao governo a retirada do pedido de urgência

Aliado do governo de Eduardo Leite e do mesmo partido do vice-governador, Ranoldo Junior, o presidente da Assembleia Legislativa, Luís Augusto Lara (PTB) foi categórico, ontem, ao defender a retirada do pedido de urgência do pacote do governo do Estado para alterar as carreiras de servidores e a previdência do funcionalismo.
A manifestação do presidente do parlamento gaúcho aconteceu, ontem, em um encontro com representantes de entidades sindicais em audiência na Assembleia Legislativa. Deputados ouviram os argumentos apresentados pelo Movimento Unificado dos Servidores, contrários ao pacote de projetos encaminhados, pelo governo de Eduardo Leite, em regime de urgência com mudanças nas carreiras e na previdência.
Lara prometeu abrir as portas do parlamento para que os servidores possam expor seus pontos de vista acerca da proposta de reforma do Estado. Segundo ele, essa é uma decisão que precisa de mais tempo e melhor amadurecida. “Precisa de tempo para que se possa fazer justiça”, defendeu.
O petebista afirmou que é preciso fazer uma reforma no Estado porque, segundo ele, do jeito que o Rio Grande do Sul está financeiramente não vai muito longe. Porém, acentuou que essa reforma não pode recair somente nos servidores e pediu equilíbrio e ponderação nessa decisão.
Lara contou que na segunda-feira sugeriu ao governador para que ele dê um tempo a mais para a Assembleia Legislativa aprofundar essa discussão. “São medidas muito duras que mexem na vida de muitas pessoas. Há outras formas também de buscar o equilíbrio do Estado que precisam ser avaliadas; precisam ser contempladas nesse pacote – não pode ser um pacote que só vise os servidores”, asseverou.

Deixe sua opinião