Imagens do GGI-M mostram infrações de trânsito
Irresponsabilidade que pode custar uma vida
Publicado em 19/10/2012

Segurança

Foto: -

A motorista entra no carro

Em tempos de tantos carros e motos nas ruas, a atenção para que sejam evitados acidentes de trânsito deve ser redobrada. Na contramão dessa afirmativa, a FOLHA do SUL de hoje publica imagens captadas pelas câmeras de videomonitoramento do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M) que flagram o esquecimento de uma das regras básicas na hora de dirigir um automóvel.
Eram 18h25min do último dia 4. Um Celta estava estacionado na avenida Tupy Silveira, em frente a um supermercado. No banco da frente, uma mulher segura no colo uma criança pequena. Pouco tempo depois, a condutora entra no veículo. Antes de dar a partida, elas não colocam o cinto de segurança. Ela liga e sai com o automóvel, como se tudo estivesse dentro da normalidade.
Pode parecer um esquecimento ou uma questão cultural da cidade, mas dados do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) demonstram que num acidente com dois veículos se um deles está a 20 quilômetros por hora, 80% das pessoas morrem por não usarem o cinto de segurança.
O sargento Lacerda, da Brigada Militar, fala que essa é uma prática comum em Bagé. “É mais um caso entre tantos que são flagrados”, explica. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o artigo 64 diz que crianças menores de 10 anos devem ser transportadas nos bancos traseiros. Além disso, o fato de levar uma criança no banco da frente é infração gravíssima e pode gerar multa, conforme o artigo 168. E, por fim, o artigo 167 deixa claro que não usar o cinto de segurança é uma infração grave com penalidade de multa.

Deixe sua opinião