No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Grupo Pianistas de Bagé pode virar patrimônio cultural e histórico
Publicado em 11/09/2019

Geral

Foto: Divulgação/Orquestra Jovens do Pampa

Oitava edição do espetáculo "Cinco pianos a 20 mãos"

A instituição artística Pianistas de Bagé pode virar patrimônio cultural e histórico do município. O projeto que altera a lei número 4.836/2010 é de autoria da vereadora Sonia Mara Gomes Leite (PP).  Segundo ela, por fazer parte do Instituto Municipal de Belas Artes (Imba), o grupo de pianistas não recebe doações diretas - sendo reconhecido atualmente como patrimônio imaterial. 
Desta forma, a progressista explica que se tornar patrimônio do município, possibilita à instituição adquirir a autonomia para receber doações e até ter um local próprio. “Acredito que elaborar este projeto ajuda a estimular a cultura bageense, principalmente para que surjam novos pianistas", enfatiza.
Inspirado no conjunto de Piano Carlos Gomes da década de 60, o grupo foi criado pela professora Gerlcy Médici, dentro do Imba. O grupo realizou apresentações no Clube Comercial, Ginásio Presidente Médici (Militão) e na TV Piratini, nos anos de 60 e 70. 
O grupo foi reativado em 2011 pela professora de música, Lúcia Antônia Bezerra de Mello. Atualmente, as faixas etárias dos integrantes variam de 12 a 90 anos, entre alunos, professores, ex-alunos e ex-professores e até residentes de outras cidades como, Pelotas, Porto Alegre, Santa Maria, Santa Cruz, Rio Branco e Rio de Janeiro. 
Com nove anos, desde a retomada, o grupo já realizou apresentações em Gramado e Canela. 
Em novembro deste ano, o grupo Pianista de Bagé marca presença em um recital durante o Natal Luz de Gramado.  

Deixe sua opinião