Exemplo empreendedor
Gabriela Pötter motiva investimentos da Guatambu
Publicado em 08/06/2013

Vitrine Empresarial

Foto: -

Novo Tannat

Grávida de nove meses, a empresária e agrônoma Gabriela Pötter, de 33 anos, quarta geração da família, é o maior exemplo empreendedor feminino da região. Ela motivou o pai, o veterinário Valter José Pötter - tradicional produtor de gado, arroz e soja de Dom Pedrito - e as irmãs Isadora, Mariana e Raquel a apostar nas uvas. O resultado foi amplamente festejado na noite da última quinta-feira, quando a família inaugurou o complexo Guatambu Estância do Vinho, lançando dois novos rótulos no Salão Rastros do Pampa.
Em cada detalhe do evento, era possível perceber o toque feminino como diferencial de outras vinícolas. Agora, a Guatambu não só produz seus próprios vinhos e espumantes, como abre um investimento de R$ 6 milhões ao enoturismo. A expectativa, em dois anos, é produzir 170 mil garrafas. Hoje, já são produzidas 100 mil. Duzentos e quarenta convidados prestigiaram o evento, entre autoridades - como o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, e o prefeito de Dom Pedrito, Lídio Bastos - e imprensa gaúcha, carioca, paulista e nordestina.
Gabriela, ao lado do marido Pedro de Oliveira, acompanhava cada detalhe sem nenhum tipo de aflição: tudo encaminhado entre equipes de serviço, assessoria, cerimonial e recepção. O jeito simples e comunicativo da empresária jovem, futura mãe, comprova que é possível conciliar os negócios com a família e a maternidade, desenvolver a inovação e enxergar o futuro antes dele aparecer no horizonte da propriedade de 56 anos de existência.

Lançamentos
No início da cerimônia, espumantes brut e extra brut enchiam as taças, enquanto os convidados degustavam coloridos canapés do restaurante Cumbuca. O vinho Rastros do Pampa Cabernert Sauvignon podia ser harmonizado com salgados, camarão, sopas bem temperadas ou cortes nobres preparados na parrilla do salão. Depois dos hinos Brasileiro e Riograndense, executados por integrantes do grupo regionalista "Os Serranos", o diretor-presidente Valter Pötter falou sobre a concretização do sonho da filha, destacando a sustentabilidade do empreendimento. O ator Tiago Lacerda abriu as primeiras garrafas do espumante Guatambu Rosé e do vinho Rastros do Pampa Tannat (Foto do Dia, p.2). Em seguida, as duas bebidas foram servidas aos convidados, recebendo grandes elogios.
Rastros do Pampa Tannat é um vinho fino, com produção limitada a 5,1 mil garrafas numeradas. Aproveitando o precioso terroir da região, o produto é típico do Bioma Pampa gaúcho, marcado por mais de 2,3 mil horas de luminosidade durante o período vegetativo da videira e escassez de chuvas no verão, garantindo a maturação fenólica das uvas e a opulência de seus vinhos. É o primeiro varietal Tannat da Guatambu, produzido nas novas e  modernas instalações da vinícola Guatambu, expressando bastante corpo e estrutura, sem caracterizar uma bebida forte, como comentaram os presentes. Certamente, vai receber prêmios internacionais, como o Cabernet. O espumante Guatambu Rosé, produzido com uvas Gewürztraminer causou sensação no evento. "Ele exibe sedutora cor avermelhada. Revela aromas finos", destaca Gabriela.

Energia solar e sustentabilidade
O prédio do complexo tem arquitetura no estilo espanhol e abriga galeria de acervos da estância, auditório para 180 pessoas, parrilla e salão de eventos para 200 convidados. A loja, além de vinhos e espumantes, oferece cosméticos de uva, artigos em lã e lembranças. A estrutura toda tem três mil metros quadrados distribuídos em dois níveis, empregando a técnica da gravidade nos processamento da uva, considerada a melhor para produção de vinhos finos de qualidade. É no espaço subterrâneo que são elaborados todos os rótulos da vinícola, visando preservar sua qualidade com maior controle de temperatura.
A sustentabilidade norteia toda a história da família, segundo Valter Pötter. No grande investimento, essa preocupação é premissa básica. A água é coletada da chuva e tratada. A energia deverá ser solar. A fase um do projeto mantém 188 painéis em funcionamento. A ideia é ter sete mil painéis. Além da economia de energia elétrica, o sistema registra a economia na emissão de CO2 e devolverá à rede de energia a produção que não for utilizada.
 
Quem pode visitar a Guatambu
Qualquer pessoa pode conhecer a Guatambu. Basta agendar. De acordo com Gabriela, a Guatambu receberá os visitantes a partir do dia 18, podendo receber de duas pessoas a grupos. O tour oferecido, que custa R$ 25 por pessoa, apresentará todas as seções de elaboração dos vinhos, desde a produção das uvas, recebimento e desengace das frutas, apresentação da área de controle de qualidade (laboratório), visita às caves e ao engarrafamento.
Há diversos pacotes. Todos eles dão direito a um bônus de R$ 10 para gastar na loja. Com almoço, o passeio custa R$ 100 por pessoa. “Se o visitante tiver mais tempo, poderá fazer cavalgada nos vinhedos e conhecer mais sobre a criação de ovinos e bovinos da estância”, acrescenta Gabriela Pötter. A chamada camperiada dura cerca de três horas, incluindo as visitas. Com almoço, sai R$ 150 por pessoa.
Contato:  visita@guatambuvinhos.com.br
Fone: (53) 3243-4395

Deixe sua opinião