Forças de Segurança realizaram operação piloto do Programa Sentinela
Publicado em 30/06/2020

Segurança

Foto: Divulgação/FS

Ações realizadas na região serviram de teste para implementação de projeto estadual

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) divulgou o balança da operação piloto para a implementação do Programa Sentinela. As ações de barreiras sanitária e fiscalização do transporte de rebanhos iniciou dia 17 de junho e se estendeu até o 24 deste mês, nos 10 municípios localizados entre Chuí e Dom Pedrito.

O programa tem data prevista para implantação no dia 8 de julho, em 1,2 mil quilômetros de fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai e a Argentina. Trata-se de uma das exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para mudar o status sanitário do Estado. Porém, o projeto terá um braço da segurança pública que compreende a Brigada Militar e a Polícia Civil, tendo impacto direto no combate ao abigeato.

Durante a semana das atividades pilota de barreiras fixas, barreiras volantes, fiscalização de propriedades, recolhimento de animais criados nas faixas de domínio “gado de corredor” e atividades de educação sanitária, os agentes de segurança pública percorreram os municípios de Jaguarão, Pinheiro Machado, Bagé, Dom Pedrito e Aceguá.  Em Aceguá, foi registrada a maior concentração de animais na faixa de domínio, nos corredores de estradas, foram identificados 241 bovinos, 77 equinos e 68 ovinos.  

A operação piloto teve foco na fiscalização das estradas vicinais de chão batido, quando foram realizadas ações de educação sanitária com mais de 100 produtores concomitantes às atividades de fiscalização, recolhimento de 40 bovinos em corredores (todos devolvidos às propriedades rurais de seus proprietários), montadas cinco barreiras fixas, 11 barreiras volantes, fiscalização e contagem de rebanho em duas propriedades de alta movimentação. As equipes da secretaria envolvidas na operação totalizaram quatro médicos veterinários, dois técnicos agrícolas e dois motoristas. Além do apoio de duas equipes da Brigada Militar.

"O projeto piloto foi um sucesso. Agora, vamos ampliar para fortalecer a fiscalização em toda a fronteira com Argentina e Uruguai. Vamos manter os critérios técnicos e, assim, garantir maior segurança no campo, bem como para os nossos pecuaristas", afirma o secretário da Seapdr, Luís Antônio Covatti. 

“Entendemos que o piloto do programa provou que a idealização do Sentinela foi bem construída e apenas algumas pequenas correções de materiais e procedimentos terão de ser realizadas. Em um panorama geral, tudo aconteceu dentro do previsto e foi possível realizar uma grande ação com repercussão muito positiva na região”, afirma o coordenador do programa, Francisco Lopes.

Área de abrangência

O Programa Sentinela tem área de abrangência de 59 municípios nas fronteiras com Uruguai e Argentina, com 64 842 propriedades rurais e rebanho de 4,4 milhões de cabeças. A metodologia de trabalho prevê a distribuição das equipes e o gerenciamento das atividades em quatro blocos: Jaguarão, Santana do Livramento, São Borja e Santa Rosa. E é resultado da integração entre os órgãos e instituições de Defesa, Segurança e Sanidade Agropecuária, em benefícios de ações para mitigação de risco sanitário e combate ao abigeato.

Deixe sua opinião