No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Estados do Brasil apresentam queda no desemprego em 2019
Publicado em 19/02/2020

Comércio em foco

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Ibge, a taxa média de desemprego no ano passado teve queda em 16 estados do país, acompanhando a média nacional, que caiu de 12,3% em 2018, para 11,9% em 2019. No Amapá e na Bahia, as taxas foram as maiores, chegando a 17,4%; enquanto Santa Catarina teve a menor com 6,1%, seguido dos estados de Rondônia, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, com 8% na média anual. A pesquisa mostra que a população ocupada aumentou 2% no Brasil e em mais 23 estados, totalizando 93,4 milhões de trabalhadores em 2019.

A taxa de informalidade no Brasil atingiu o maior nível desde 2016, quando teve 41,1%. De acordo com o estudo, a soma dos trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, contra própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar, ultrapassou os 60% que é o caso no Pará, com 62,4%. A taxa média nacional de informalidade foi superada em 18 estados; em 11 deles, a taxa ultrapassou os 50% e apenas Distrito Federal e Santa Catarina tiveram taxas de informalidade abaixo de 30%. No Rio Grande do Sul, a taxa se concentrou nos 34,0%.

A pesquisa revela ainda que 62,9% dos trabalhadores contribuem para a previdência. Segundo os dados, desde 2016, o país vem apresentando queda na proporção da população ocupada que contribui para instituto de previdência. A maior quantidade encontra-se na região Sul, com 75%; a menor, no Norte, com 44%. Entre os estados, a contribuição chega a 81,2% em Santa Catarina, sendo que esse percentual no Pará é de 38,4%.

Deixe sua opinião