Esperança aos aprovados
Publicado em 11/02/2015

Editorial

por Felipe Valduga
felipelvalduga@gmail.com

O anúncio de cortes expressivos oficializado pelo governador do Estado, José Ivo Sartori (PMDB), no início de sua gestão, em janeiro, assustou. Aos fornecedores e prestadores de serviços, a preocupação ficou por conta da suspensão dos pagamentos por período estimado de seis meses. O que, de fato, deve comprometer o caixa das empresas.
Por outro lado, porém, talvez ninguém tenha ficado mais preocupado com essa redução de gastos que os aprovados nos recentes concursos realizados pelo governo gaúcho. Ora, após muito estudo, conquistar uma vaga, e, mesmo assim, não ter perspectiva para começar a trabalhar é algo que deprime qualquer um.
Não que as medidas adotadas pelo governador fossem incorretas, até porque a situação financeira é – e era – difícil mesmo. Mas pontos de corte como esses deixam qualquer cidadão assustado. Existem outros mecanismos para gastar menos, como redução de Cargos em Comissão (CCs) e outros tantos.
Nesse imbróglio, ao menos, uma ponta de esperança começa a surgir para alguns dos aprovados. Em reunião com a diretoria do Cpers, o secretário de Educação, Vieira da Cunha (PDT), garantiu que as nomeações de professores irão priorizar os selecionados no concurso de 2013.
No encontro, o pedetista negou a possibilidade de que o governo contratasse profissionais temporários, ao invés de priorizar a nomeação dos aprovados. Teria dito, aliás, que apenas está aguardando um retorno da Secretaria da Fazenda para chamar uma primeira leva de aprovados no concurso.
Agora resta esperar. Ver se, assim como exposto de forma pública, a medida será efetivada. Se for para gastar um pouco mais, que seja com Educação, com profissionais capacitados e legalmente efetivados para colaborar na aquisição de conhecimento de nossos jovens.

Deixe sua opinião