Entidades se posicionam sobre cancelamento da Expointer 2020
Publicado em 04/07/2020

Geral

Foto: Anderson Ribeiro

Gestor da Associação e Sindicato Rural de Bagé destaca que mostra agropecuária está sendo preparada sob as mudanças da pandemia

Um dos símbolos do Rio Grande do Sul, que completaria 50 anos em 2020, foi cancelado na quinta-feira. A Expointer, a maior mostra agropecuária da América Latina, foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus. A organização já tinha, no mês de junho, divulgado uma nova data que culminaria com a realização do evento fora do período tradicional, sempre ao final do mês de agosto. No entanto, em reunião, realizada por videoconferência, a Farsul, junto à Secretaria da Agricultura Pecuária e Desenvolvimento Rural, Prefeitura de Esteio, Simers, Fetag-RS, Ocergs e Febrac, decidiu pelo cancelamento da Expointer deste ano.
O presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, classifica como amarga a difícil decisão, mas necessária. "Uma Expointer sem público é melhor que não exista", afirma ao lembrar que a cada edição circulam pelo parque cerca de meio milhão de pessoas. Gedeão destaca que mesmo tomando todas as medidas de proteção possíveis, o risco de contaminação seria muito grande. "As pessoas são muito importantes e as suas vidas fundamentais", ressalta o dirigente, que reitera que a pandemia trouxe uma realidade de extrema dificuldade para se planejar como realizar o evento de forma segura.

Associações se manifestam

Antes dessa decisão oficial, algumas associações de raça já tinham se manifestado contrários à realização do evento. A Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), no dia 1º de julho, em votação de diretores e expositores da entidade decidiram pela não participação na feira, visto a impossibilidade de realizá-la sem público. Posição semelhante a da Associação Brasileira de Angus. A entidade divulgou que houve o interesse de alguns associados de levarem animais para a exposição. No entanto, a Associação Brasileira de Angus destaca manifestação contrária à realização da Expointer.

O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Edemundo Ferreira Gressler, emitiu nota em que lamenta a não realização da Expointer, mas ressalta que o momento atual de pandemia traz mais perguntas do que respostas, e que não é possível correr riscos, sem saber, com segurança, o que será enfrentado num futuro próximo. “Nesse sentido entendemos que a decisão de cancelamento da Expointer foi a mais acertada e tomada de forma muito responsável pelos órgãos e entidades promotoras. [...] assim, temos certeza que 2021 será melhor! Estaremos muito mais fortalecidos e todos com saúde! E já convocamos a todos  para em 2021 fazermos a maior e melhor Expointer da história”, diz.

Freio de Ouro irá ocorrer

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), após a nota dos organizadores da Expointer, ressalta que, neste texto, atestaram que provas técnicas de associações de produtores e atividades de julgamento de animais no Parque de Exposições Assis Brasil, desde que sigam os protocolos necessários, poderiam ocorrer. “Desta forma, a ABCCC esclarece que segue o planejamento e, com isso, mantém as atividades de seleção morfológicas e funcionais da raça programadas em calendário lançado anteriormente, sempre dentro do rígido protocolo sanitário de distanciamento social que vem sendo praticado durante as provas. Todas as medidas para a proteção dos ginetes, equipes de trabalho e aos demais diretamente envolvidos na seletiva serão tomadas neste momento de enfrentamento à covid-19, para que a ABCCC siga contribuindo com o cenário econômico agropecuário e com a sociedade gaúcha”, aponta a associação em comunicado.

Expofeira: uma incógnita

O presidente da Associação e Sindicato Rural de Bagé, Geraldo Brossard Corrêa de Mello, analisa que as medidas de impedirem o acesso do público ao parque de exposições Assis Brasil, em Esteio, durante a Expointer, tirou muito do grande enfoque do evento. A impossibilidade de haver aglomerações fez com que, de forma acertada, segundo o dirigente local, a Expointer fosse cancelada para o próximo ano. “Sem a participação de pessoas, obviamente, ficou sem aquele ar da maior exposição da América Latina”, completa de Mello.

Questionado sobre a realização da Expofeira nesse contexto de serem impedidas as aglomerações, o dirigente afirma que não sabe se ela irá ocorrer dentro do prazo normal, visto que no calendário oficial de eventos de primavera, estão as datas de 1º e 11 de outubro. “Se acontecesse nos moldes da Expointer, teríamos que alterar a nossa data, isso no que tange ao calendário de 26 de setembro a 4 de outubro. Contudo, no momento, não sabemos o que irá acontecer. De maneira prática, dificilmente, deixaremos de sair do modelo de remate virtual. Vamos procurar fazer dessa forma, afinal o produtor precisa dessa receita e o Sindicato Rural também, pois a entidade está lá para fazer a logística dos remates virtuais e ter sua receita”, afirma de Mello, sobre a possibilidade de mudanças para a mostra de rústicos mais antiga do Brasil. “Estamos nos organizando para atuar da melhor maneira em relação à Expofeira, para ver como poderemos realiza-la”, enfatiza o dirigente.  

Deixe sua opinião