Emater aponta que colheita de arroz na região de Bagé chega a 85% da área total
Publicado em 04/05/2020

Rural

A safra da cultura de arroz se encaminha para o encerramento. A colheita, conforme divulgação da Emater/RS-Ascar já chega a 95% no Estado. O fato preocupante no momento é a escassez dos mananciais, que se agrava a cada semana sem a ocorrência de chuvas para recompor os volumes de água, determinantes para o planejamento da próxima safra. Na regional da Emater/RS-Ascar de Bagé, o período de tempo seco foi favorável à colheita, que avançou durante a semana. As lavouras colhidas atingiram 96% da área cultivada, restando 4% em maturação fisiológica. Há um índice maior de áreas colhidas na Fronteira Oeste, e municípios como Uruguaiana, Barra do Quaraí e Itacurubi finalizam a operação em pequenas áreas. Na região da Campanha, em Bagé e Hulha Negra, restam 15% das lavouras a serem colhidas. 
O rendimento médio é de oito mil quilos por hectare. Essa safra se caracteriza pela baixa incidência de doenças e insetos, promovendo boa sanidade de folhas, colmos e panículas. O controle de ervas daninhas foi adequado, devido à correta aplicação dos herbicidas e à alta disponibilidade de água na fase inicial do cultivo.
Produtores passam a definir as áreas de cultivo para a próxima safra, realizando operações de sistematização. Para tal definição, um fator importante a ser considerado é a capacidade hídrica dos mananciais. A comercialização da saca de 50 quilos do cereal está cotada na região de Bagé entre R$ 46,50 a R$ 58,40. 
 

Deixe sua opinião