No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Diocese assume administração da paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora
Publicado em 23/10/2019

Geral

Foto: João A. M. Filho

Congregação deixará de ter sacerdotes residentes após 115 anos


Uma tradição centenária da Rainha da Fronteira mudará de mãos. Isso porque a Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora passará a ser administrada pela Diocese de Bagé. O templo religioso estava até então no comando da Congregação dos Salesianos.
A Diocese assume o comando a partir de janeiro, após 115 anos da fundação da paróquia, capitaneada por oito sacerdotes da congregação Salesiana, vindos do Uruguai. A decisão foi confirmada em assembleia, ocorrida na noite de segunda-feira, na Igreja de Nossa Senhora Auxiliadora.
O fato se deve à falta de padres da congregação, que decidiu por transferir os três religiosos para Rio Grande. Com isso, Bagé não terá mais a presença de representantes dos Salesianos na vida cotidiana.
De acordo com o pároco da Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, padre Tarcísio Luís Brasil Martins, a determinação é justamente que cada paróquia tenha ao menos quatro sacerdotes, que hoje tem presença em cinco cidades gaúchas – Bagé, Porto Alegre, Rio Grande, Santa Rosa e Viamão. Com isso, os religiosos serão redistribuídos para as paróquias mais próximas. “Bagé não terá mais a presença de Salesianos residentes, porém, o Colégio Auxiliadora permanece ligado à congregação. A decisão foi tomada em virtude da falta de pessoal. Hoje, somos poucos, mas a congregação mantém várias obras em atividade”, explicou.
O religioso garantiu que não estão previstas mudanças com relação ao Colégio Auxiliadora, que segue sob o comando dos Salesianos, bem como dirigido por profissionais da área. 

Legado
Segundo o bispo da Diocese de Bagé, Dom Cleonir Dalbosco, o funcionamento das atividades da paróquia está garantido. “Desde que cheguei à cidade, tive conhecimento da importância histórica dos Salesianos na educação – com os colégios São Pedro e Auxiliadora-, além das inúmeras obras de caridade e de evangelização promovidas pela ordem. Recebemos com tristeza da retirada dos sacerdotes, porém, garantimos que o legado seja mantido e lembrado pela comunidade. Bagé cresceu com os esforços e o trabalho dos Salesianos”, ressaltou. O bispo acrescentou que a Diocese abriu tratativas, para que outra congregação assuma a gestão do espaço. “Infelizmente, por exigência da Ordem dos Salesianos, recebemos esta notícia. As tratativas para a entrega da paróquia aconteciam desde que o bispo emérito dom Gílio Felício ainda comandava a Diocese, porém, não puderam mais ser adiadas. A Diocese assumirá o comando, enquanto aguarda a manifestação de outras congregações”, detalhou.
Até 31 de dezembro, está garantida a continuidade da presença de sacerdotes pertencentes à congregação, que deixarão Bagé, segundo Martins, a fim de manter o funcionamento das obras salesianas. “A comunidade recebeu a notícia com tristeza, contudo, expressou tranquilidade. É importante que a comunidade veja esta situação não como um fim, mas como um recomeço”, disse.

 

 

Deixe sua opinião