Desconfiança faz parte do jogo
Publicado em 30/03/2020

Política

Hoje, a coluna vai abordar os temas em tópicos, porque as discussões, agora são mais políticas do que sobre o vírus propriamente dito, pois estão tomando conta e incentivando a luta do ‘bem e do mal’. A velha raiva, que expele ‘o cuspe pelo canto da boca’, esta, sim, é perigosa. Seu ápice aconteceu durante a ditadura e começa a crescer no momento da dita proliferação do vírus. A disputa pelo poder começa em querer testar autoridades. Ou quem manda mais, quem tem mais poder. É um tema que venho abordando, sempre seguindo os fatos. Chegamos a tal ponto que até um ‘placar’ sobre o vírus está sendo exposto à população. Exemplo: A Itália passou a China em mortes pelo vírus. A Espanha ultrapassou a França. Só falta afirmar quem vai assumir a liderança nas mortes pelo coronavírus no dia seguinte. Até previsões sobre o próximo país que vai assumir a ‘liderança’ da desgraça. Isso, para mim, promove a desconfiança e incentiva o terror.

Governo de Minas cogita exumação de corpos

Romeu Zema Neto, governador de Minas (Novo) está cogitando em exumar os corpos para verificar se as mortes foram causadas pelo coronavírus. Tudo baseado na morte de diversas pessoas, cujo atestado de óbito declara como ‘problemas respiratórios’. Imediatamente é levado para o ‘placar’ do avanço do vírus atual. A matéria foi postada em diversos jornais, no sábado, 28, dia anunciado para a carreata defendendo a abertura do comércio. Gostei da ameaça do governador que só assim poderemos saber se é real ‘ou criada’, a evolução do vírus. Essa ideia deveria prosperar. A verdade não faz mal a ninguém a não ser aos mentirosos. O governador reagiu ao receber está informação, da Secretaria de Saúde: “Não foi registrada nenhuma morte por Covid-19”. Conclusão: Estariam dando a entender que “todas as mortes foram provocadas pelo vírus”. Com que objetivo? Não sei.

Governo fecha aeroportos para estrangeiros

Anvisa recomendou, e o governo determinou, a proibição de estrangeiros pousarem em aeroportos brasileiros. A  medida tem validade de 30 dias. Fecharam a fronteira aérea. Isso, em parte, já havia acontecido quando algumas empresas aéreas suspenderam os voos internacionais “até passar a crise provocada pelo coronavírus”. Vai provocar o questionamento, se é que já não está acontecendo, com a seguinte pergunta: ”E as fronteiras terrestres? Como irão ser controladas? Vai surgir no noticiário, a seguinte indagação: Se o governo está tomando essa decisão é a comprovação que o vírus está atingindo, em cheio ao Brasil”. Então, ‘o pânico’ pode crescer. As medidas tomadas por alguns estados e municípios, contestadas pelo governo da União, estariam certas? Os protestos de ontem, entre o bem e o mal, continuarão? E ai, fica a pergunta: Quando será que ‘o bom senso’ voltará e as partes sentem para tomar uma decisão que previna a evolução do vírus e, ao mesmo tempo, não causem uma recessão que nós teremos que pagar. A quem interessa essa ‘briga’? Seria o ano eleitoral? Tudo é possível!  

O fogo se apaga com água não com gasolina

Como costumo ler noticiários de jornais que estão na internet, bem como colunistas que opinam sobre fatos, hoje trago matéria interessante do jornalista, Leandro Mazzini, do Jornal o Dia do Rio. Ele apresenta alguns números colhidos no site do Ministério da Saúde. Considero contraponto, a tudo que vem sendo dito. Ele, no meu ponto de vista, não segue a ideia de Paul Joseph Goebbels, assessor de imprensa de Hitler, que declarou “uma mentira repetida mil vezes tem a força da verdade”. Ele mostra números, alguns já registrados neste espaço que servem para a população perder um pouco ‘o medo’ que lhe atingiu. Leia:  “A despeito do coronavírus, o mais mortal de todos, até ontem, já eram 77 mortes no país, o Ministério da Saúde enviou para a imprensa, dados assustadores de mortes por outras gripes no Brasil. Em 2019, foram registrados 1 122 óbitos por Influenza A e B. Em 2018, foram 1 328 mortes pela mesma gripe”. Como já estou combatendo ‘este placar’ horroroso, divulguei na semana passada, o número de mortes pela fome, por dados oficiais do governo. Em 2019, morreram de ‘fome’ no Brasil, 5 475 pessoas (média de 15 por dia). Entre alguns mortos, a ‘Influenza’ teve participação efetiva. Segundo dr. Osmar Terra, que está tendo mais espaço na mídia, este vírus vai crescer e vai cair. Ele afirma que não passará de 1% da população. Então, vamos perder o medo, sem perder o respeito aos aconselhamentos técnicos. Tá?

Deixe sua opinião