Coordenadora das oficinas despede-se no dia 3
Depois de 15 anos de atuação na UEB/Caminho da Luz, Maria Zulmira Babot irá se aposentar
Publicado em 01/05/2013

Geral

Foto: Emanuel Müller/EspecialFS

Maria Zulmira (esquerda) se despede, na sexta-feira, e Ana Luíza (direiita) assumirá função de coordenadora das oficinas

                A União Espírita Bageense/Caminho da Luz vai assinalar o Dia do Trabalho de maneira diferente. Depois de 15 anos atuando na instituição, a atual coordenadora das oficinas desenvolvidas na entidade, Maria Zulmira Morrudo Babot, irá se aposentar. O último dia de trabalho será no dia 3 de maio. “Saio agradecida por ter a oportunidade de realizar um aprendizado fantástico na minha vida”, emociona-se Zulmira, como é chamada pelos colegas.
                A coordenadora calcula que centenas de alunos tenham passado pelas suas mãos durante o período de atuação na UEB/Caminho da Luz. “Alguns estão desde quando entrei aqui”, conta. A evolução das crianças nos trabalhos da oficina tem significado especial para Zulmira. “Certa vez, um menino conseguiu colocar a linha no buraco de uma agulha. Eu saí gritando para todo mundo que ele havia conseguido”, relembra. Outra vez, um menino de 16 anos não conseguia falar. “Ele me enxergou e deu um grito: Zulmiraaaaaaa. Nossa, isso te dá um ânimo ainda maior, uma vontade de superar todas as dificuldades”, ressalta.
                Zulmira levará o amor dos mais jovens e a amizade com familiares dos alunos e colegas de atuação na entidade. “A partir de agora vou curtir meus filhos e viajar um pouco”, assinala. A coordenadora das oficinas terá outra missão em breve. Aguarda a chegada do terceiro neto, Rafael.
                A escolhida para substituir Zulmira está definida. Trata-se de Ana Luíza Veiga Leal. Depois de oito anos de atuação junto à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Ana Luíza passa a coordenar as oficinas da UEB/Caminho da Luz. E diz que pretende seguir a metodologia de trabalho da antecessora. “Sei que é uma grande responsabilidade substituir a Zulmira. Espero corresponder às expectativas para buscar a inclusão social das crianças e a qualificação para o mercado de trabalho dos alunos”, pondera.

Deixe sua opinião