No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Defesa Civil encerra relatório de prejuízos causados por vendaval em Bagé
Publicado em 13/11/2019

Geral

Foto: Divulgação/FS

Danos na infraestrutura urbana e rural do município

A Defesa Civil de Bagé  encerrou ontem os trabalhos do relatório dos prejuízos causados pelo vendaval da última semana de outubro que atingiu o município. Conforme o coordenador da Defesa Civil local, tenente Ronaldo Rosa, as informações serão repassadas pela central da Defesa Civil que irá averiguar os números para, enfim, o governo do Estado homologar ou não o decreto de emergência.

Segundo Rosa, mais de 200 residências na cidade foram danificadas com o efeito climático, o que resulta numa estimativa de 800 pessoas atingidas. “Quatro famílias ficaram desabrigadas, que é quando não tem como arranjarem outra moradia, seja de familiares ou vizinhos para ficarem. Diferente de quem fica desalojado que pode ir para a casa de algum conhecido ou familiar. Com essas cerca de 210 residências danificadas, a maioria destelhadas, o prejuízo foi de R$ 25 mil”, aponta Rosa. O coordenador ressalta que os montantes são baseados em estimativas também de gastos futuros para com consertos, não apenas daquilo que foi prejudicado. Somando os efeitos na área rural e urbana, mais de 50 mil pessoas foram afetadas pelo vendaval. “Quando mensuramos esse montante, é todo cidadão que teve algum tipo de infortúnio com o evento climático. Por exemplo, moradores do bairro Ivone que tiveram casas destelhadas, bem como produtores de leite do interior, que ficaram dois dias sem energia elétrica e com isso não puderam refrigerar a produção”, explica.

Em se tratando de infraestrutura pública da cidade, Rosa comenta que 350 unidades foram prejudicadas, isso na área rural e urbana, o que chega a um total estimado de R$ 2,9 milhões. “Chega-se a esse valor aproximado quando se calcula aquilo que será gasto com reparos em vias, cabeceiras de ponte, entre outros. A Defesa Civil aponta a situação gerada com um evento climático e também calcula com as obras de prevenção, aquilo que poderá ser resolvido para evitar transtornos em um novo episódio como esse de vendaval e, como aquele, que teve em janeiro deste ano, com excesso de chuva”, explica. Para a produção rural os prejuízos foram de R$ 120 mil na olericultura; na apicultura, R$ 1,050 milhão e, na bovinocultura de leite, R$ 26,191,00.

Ações de recuperação no interior

A Secretaria de Desenvolvimento Rural de Bagé informou que está com uma agenda de trabalho em localidades no interior da cidade. Até sexta-feira, as equipes da pasta estarão atuando no corredor dos Tavares; passo do Butica; corredor do Tata; corredor da Caneleira; estrada de Joca Tavares. “Estamos com um custo aproximado de R$ 80 mil em gastos horas-máquina, combustível, em pessoal, instalação de bueiros, lonas para colocar bueiros e atendendo episódios pontuais. Não temos condições de fazer um trabalho contínuo porque a gente tem diversas pequenas ações para ir resolvendo. Mas já estamos atuando de um cronograma de trabalhos; no entanto, se porventura ocorreu algum problema efetivo, a secretaria pode mandar um grupo para atuar”, informa Cleber Carvalho.

 

Deixe sua opinião