No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Curso do Km 21 apresenta oportunidades de crescimento e capacitação
Publicado em 25/09/2019

Geral

Foto: Divulgação/FS

Iniciativa visa ampliar acesso ao mercado de trabalho

As alunas do curso de modelagem, corte e costura, vinculadas ao Projeto de Economia Solidária, receberam gestores e professores para um café da manhã e apresentações para avançar nos conhecimentos e ampliar os horizontes. É que por iniciativa da professora e estilista Babi Rodrigues, foram recebidos no complexo do Km 21, mantido pela Secretaria de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso, representantes da faculdade de ensino a distância UniCesumar e Senac, além de gestores da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Eles apresentaram oportunidades para cerca de 20 alunas em curso, além das que já se formaram em modelagem, corte e costura.

A proposta da estilista é que as alunas não se restrinjam ao curso, que possam avançar na construção do conhecimento e prosperar através do trabalho: “A ideia desse café da manhã foi mostrar um novo mundo para elas, pois nunca é tarde para estudar e para aprender ou começar algo novo”. Às alunas, foram apresentadas oportunidades de retomar ou aprofundar os estudos a partir da graduação de Designer de Moda, ou, de completar o Ensino Fundamental e Médio. “Retomar os estudos pode abrir muitas portas, pois hoje, para quase todas as vagas de trabalho, é exigido Ensino Médio completo. Voltei a estudar agora, com 32 anos, enquanto sigo trabalhando como professora de modelagem, corte e costura, além de manter meu ateliê particular, sendo mãe e dona de casa. A faculdade a distância me dá flexibilidade e permite que siga aperfeiçoando meu trabalho. Por isso, tive a iniciativa de dividir essa oportunidade com elas”, relatou Babi.

De acordo com a professora, Smasi, que orienta o projeto de Economia Popular Solidária fornece todo suporte para que os participantes se profissionalizem e entrem novamente no mercado de trabalho: “Um exemplo é a Letícia Rodrigues de Azevedo, uma de nossas alunas, que depois de formada, está trabalhando em uma empresa do setor, que confecciona uniformes”. Babi ressaltou o apoio do prefeito Divaldo Lara, secretário Ramão Bocado e do coordenador do projeto de Economia Popular Solidária KM21 Rodimar Acosta: “sempre dão todo apoio e suporte às iniciativas e ideias para o nosso projeto de desenvolver a capacitação de nossas alunas”.

Deixe sua opinião