CORONAVIRUS É O TERROR DO MUNDO ATUAL
Publicado em 19/03/2020

Política

O vírus, doença ou epidemia, seja qual for a denominação, está se tornando uma autêntica ‘lavagem cerebral’ para parte da população mundial. Essas ‘doenças’ são passageiras. Isso é o que se deduz em muitas declarações de médicos e cientistas. Elas nos transformam em escravos. Muitos deixam de comer certos produtos porque podem transmitir a doença. Grande parte da população está usando máscaras. A moda acaba pegando. Convencem os incrédulos a seguir o exemplo a ponto de o produto faltar no mercado. Como sempre, quem produz aproveita a onda e segue produzindo. É o mercado que se regula. Ele está sempre atento a estes fenômenos. Pode produzir que a venda é garantida e o dinheiro entra no caixa.  Alguns aproveitam o desespero do povo e aumentam o preço da noite para o dia. Faz parte do jogo. É regra de mercado. O álcool gel, por exemplo, duplicou o custo. Ninguém se apercebe que é a velha lei da oferta e procura que faz o preço variar para mais alto. Como no Brasil vivemos o mercado livre (felizmente) não é o governo quem regula (isso só acontece em governo ditatorial), quem determina é o mercado. Este filme já passou em nosso cinema com outros tipos de vírus que apareceram. Vaca louca, febre da galinha, do porco e do mosquito tornam a população refém. Enquanto isso, há muita gente ‘ganhando dinheiro’. É só seguir acompanhando o noticiário para ter ideia do que estamos abordando. A China, onde teria começado, aproveitou para crescer mais economicamente. Comprou ações e se tornou majoritária de muitas empresas internacionais. Contudo, ao mesmo tempo, soube atuar rapidamente para eliminar o vírus. Basta dizer que construiu um hospital em poucos dias. Aqui no Brasil para se construir um hospital leva no mínimo quatro anos. A burocracia e os acertos políticos não permitem agilizar os processos. Tenho que relembrar o que a história nos conta. Dois séculos passados, continua latente nos estudiosos a teoria do general francês, Napoleão Bonaparte, que considerou a China -“Gigante Adormecido - ao acordar faria a terra tremer”. Já faz um bom tempo que acordou. Continua país comunista e capitalista. Sua economia cresce mais que os Estados Unidos da América. Isso é perigoso? Não no mundo atual onde um país depende do outro economicamente. Tanto é verdade que, os "states" são um dos maiores parceiros comerciais da China. Onde quero chegar? É simples, assim como a China conseguiu controlar em pouco tempo o coronavírus, o mundo também atingirá este estágio. Onde está a diferença? A China continuou sua expansão e comprou tudo o que pôde de empresas internacionais. Mas não se descuidou do combate ao vírus. No Brasil, estamos tomando algumas decisões importantes, é claro, mas que os céticos contestam. Leia:


Toffoli quer revisões de prisões provisórias
O Conselho Nacional de Justiça emitiu uma série de recomendações a juízes e tribunais, entre elas, revisões de prisões provisórias. Pelo que entendi, ele pede aos juízes que ‘liberem’ presos que ainda não foram julgados. Com isso, quer combater o coronavírus. Aqui, o leigo se manifesta: Os profissionais da saúde não estão aconselhando as pessoas a ficarem em casa? Então, para evitar a proliferação do vírus, bastaria fechar as portas das prisões. E visitas só após exame para detectar se o visitante tem ou não sintoma do vírus. Certas decisões incentivam o terror nos incultos. Ou não?


Congresso se fortalece por culpa do governo
As pessoas sabem que o Congresso tem levado vantagem política pelo seu protagonismo em aprovar a reforma da previdência. Toda a guerra entre Executivo e Legislativo é atribuída ao governo Bolsonaro que busca de todas as maneiras o confronto. A  convocação para os protestos de domingo, dia 15, foi a gota d´água. E ali estavam incluídos os poderes Legislativo e Judiciário. Em entrevista, Rodrigo Maia afirma: “O Congresso está mais forte por causa do governo sem coalizão de Bolsonaro". Para o presidente da Câmara, Bolsonaro terá dificuldade em aprovar projetos de seu interesse se mantiver a base aliada fraca. E vai mais longe: "No sistema presidencialista, o presidente é sempre a figura mais poderosa da política. Eu acho que a forma com que o presidente compreende a relação com o Legislativo dá a impressão de que o parlamento está mais forte. O parlamento está mais forte exatamente pela forma com que o presidente faz política, pois, quando faz governo de coalizão, assume prerrogativas do Legislativo". Concordam?

Deixe sua opinião