No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Comércio em foco 85027
Publicado em 03/07/2019

Vitrine Empresarial

Crise no país é apontada como maior empecilho ao crescimento das vendas no setor de vestuário no RS

O atraso no pagamento do funcionalismo estadual segue impactando as vendas do setor de vestuário no Rio Grande do Sul. Porém, houve queda na quantidade de empresários que referiram que este aspecto tem impactado nas vendas: na pesquisa anterior, correspondente a dezembro de 2018, o índice era de 73,8% enquanto em junho deste ano foi para 60,8%. Os dados são da Sondagem de Segmentos da Fecomércio-RS, que consultou 385 estabelecimentos optantes do Simples Nacional, entre 3 e 15 de junho, divulgada nesta segunda-feira, dia 1º.
Além da questão regional, os empresários indicaram a crise que o país vivencia (74,5%), a alta carga tributária (41,6%) e o custo para manter ou comprar estoques (22,6%) como principais motivos que impedem o crescimento das empresas.
Para 39,2% dos entrevistados, o desempenho das vendas neste primeiro semestre foi regular, enquanto 28,1% classificaram como bom e 26,2% consideraram ruim. A perspectiva de vendas para o próximo semestre, inclusive, é que melhore muito para 42,6% dos entrevistados, enquanto 33,8% acredita que melhore um pouco e 20,0% que se mantenham estáveis.
A reforma da Previdência, que é vista por boa parte dos empresários brasileiros como uma das soluções para melhorar a economia do país, tem apoio de 69,3% dos varejistas, sendo que 35,8% são favoráveis, mas demonstram ressalvas, enquanto 33,5% é completamente a favor; 17,4% se posicionam contrários à proposta.

Deixe sua opinião