No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Comércio em foco 04.11.2019
Publicado em 04/11/2019

Vitrine Empresarial

Selic em 5,0% a.a. com novo corte

O Comitê de Política Monetária (Copom), em reunião realizada na última quarta-feira, dia 30, decidiu cortar novamente a taxa básica de juros da economia brasileira (taxa Selic) em 0,50 p.p., deixando a taxa em 5,00% a.a., nova mínima histórica, por decisão unânime entre membros do Copom.
Segundo o Comitê, em nota divulgada pelo Fecomércio-RS, em seu cenário básico, observa-se a continuidade do processo de recuperação da atividade econômica, com manutenção da avaliação do cenário externo – relativamente favorável aos emergentes, mas ainda incerto e desafiador – e dos níveis confortáveis da inflação e de seus componentes. Em relação ao balanço de riscos, dois novos aspectos foram apontados: do lado baixista, além da capacidade ociosa, o potencial de propagação inercial da inflação; pela pressão de alta, o próprio grau de estímulo monetário atual, risco que pode ser intensificado em caso de deterioração do cenário externo e de frustração da continuidade das reformas. Assim considerado, a avaliação do Copom foi de ajuste no grau de estímulo monetário, com nova redução em 0,5 p.p..
A decisão do Comitê não gerou surpresas, assim como a sinalização no comunicado de espaço para igual corte na última reunião do ano, que ocorrerá em dezembro. A novidade, contudo, foi a mensagem de cautela para a continuidade do ciclo de cortes posteriores, algo que fica coerente com a inclusão do grau de estímulo monetário no balanço de riscos: considerando o efeito defasado da queda da taxa de juros, a reação da economia tem de ser acompanhada para dosar a medida dos próximos ajustes (o ciclo de baixa deve continuar em 2020, ainda que diminuindo seu ritmo). Na leitura do Copom, os efeitos da política monetária estimulativa estão começando a aparecer e, diante disso, o comunicado ajusta as expectativas do mercado e reforça a liberdade das decisões da autoridade monetária – como deve ser.
 

Deixe sua opinião