Paralelo MP
Coluna Social 20.05.20
Publicado em 20/05/2020

Social

Foto: -

Stefânia Barbosa Corrêa, com a duplinha Paulo José e Maria Gabriela, na morada (expoente da arte decorativa bageense) de Martinha Barbosa Corrêa

“Evitar pessoas tóxicas para manter-se energeticamente íntegro, longe de fraqueza, é sabedoria”.

MP

 

Um barato chamado solitude

Escrevo a coluna diante de mais um céu inacreditavelmente azul – temperatura na casa dos 25ºC – com resquícios energéticos da pedalada empreendida no último domingo. Ao desbravar os domínios da futura Faculdade Ideau, encantado pela paisagem a perder de vista, filosofei sobre uma palavrinha interessante: solitude. Cada vez mais, me convenço que contemplar a própria companhia, curtindo, de verdade, tudo o que somos e temos por nós mesmos, sem dramas ou tristezas, é um barato alcançável. Vale lembrar: gostar de estar sozinho é uma coisa; solidão, outra. Ao apear da magrela, estiquei a canga, sentei e fui longe nessa linha de raciocínio. Solitude tem a ver com amor-próprio; aceitação de si mesmo; entendimento de toda luz e de toda escuridão que coexistem dentro de nós, lidando, com ambas, sem se machucar nem machucar a ninguém. Solidão é a necessidade – por vezes patológica – de fugir do “eu” em busca de respostas que o mundo exterior jamais poderá conceder. Elas estão do lado de dentro. Ao transmutarmos a necessidade desequilibrada do outro, aprendemos a escutar o coração. Resultado? Preenchemos a alma.  É assim que, enfim, a gente se sente bem, com alguém ou sem ninguém ao lado. Bem-vindos à plenitude, estado de espírito trabalhoso, porém, atingível.

 

Bem-vindo, Eduardo

          Sílvia Mendes e Maurício Vaz estão em estado de graça com o nascimento do segundo filho, Eduardo Mendes Vaz. O irmãozinho de Pedro aportou em 7 de maio, pelas mãos do obstetra Leopoldo Konzen, na Santa Casa, pesando 3,100Kg; 48,5cm. “Nossa família mora em Poa, mas estamos em Bagé, desde março, em função do isolamento. Assim, quis Deus que mudássemos os planos para que o nosso pequeno fosse bageense”, comenta Silvia, plena de alegria. Dá para imaginar a faceirice dos vovôs Tânia e Eduardo Mendes; Ana e Carlos Alberto Vaz, com tamanho presente do destino. Que Eduardo cresça com saúde na proteção dos santos anjos...

 

Carinho por Bagé   

Em quarentena, o publisher Deu o Chic, Vitor Raskin, prestou bela homenagem a grupo de amigos bageenses no seu perfil do Instagram. “Hoje, bateu saudade dos meus amigos de Bagé. Adriana Cleary, Maria Esther “Negrita” Vianna Bordini, Rejane Novaes Estrazulas, Cássia Medeiros, Bruno Salis, Alexandre Cachapuz, Marcos Pintos, sem falar em tantos outros...”, escreveu, carinhosamente. STOP! Bacana os laços que ligam Bagé a Porto Alegre. Muitos deles foram dados – e apertados – por alguém especial. Alguém que faz uma falta danada na Rainha da Fronteira e na capital dos gaúchos. Armando Etchegaray. O nosso inesquecível, Kiko...   

 

Destaque da semana

          A partir desta edição, a coluna elegerá, semanalmente, pessoas que fazem a diferença nos domínios da Rainha da Fronteira. Critérios? Excelência profissional; doação ao próximo; colaboração social; magnetismo e por aí vai. E o primeiro destaque Paralelo MP vai para... Clodoaldo Monteiro! Discreto, elegante e antenado, Clodoaldo tornou-se referência na arte do bem-servir com longa trajetória em sociedade. E quem não lembra de Clô à frente do serviço de coquetéis, assinados por Hortência Ferrer (leia-se Gorlero) nos idos anos 1990? Saudade dos eventos cobertos pelo nosso destaque da semana e sua afinada equipe. Que não tardem a bombar...

Deixe sua opinião