Paralelo MP
Coluna Social 1.06.20
Publicado em 01/06/2020

Social

Foto: -

Lezia Fernandes de Almeida e Andrea Paiva Lima na sessão “remember” de hoje

“O trabalho nos livra de três grandes males: o tédio, o vício e a pobreza”

Voltaire

 

Petit comité, o novo chic

          Poucos amigos, estilo e estrutura constituem a base da pirâmide dos movimentos “petit comité”. Em tempo de pandemia, onde aglomerações estão banidas, celebrações íntimas ganham força com anfitriões recebendo convidados selecionados a dedo. Tais encontros têm algo de único; exclusivo: com lista reduzida, podemos ousar na sofisticação do menu e da carta, guarnecendo-os com serviço (porcelanas, pratarias, cristais) que não colocaríamos em uso numa festa bombada. Fora isso, e principalmente, o bacana de se estar em “pequeno grupo” – tradução livre do francês – é que a atenção aos convivas torna-se direcionada, ou seja, podemos curtir bem mais as boas companhias. Aprecio a ideia de o “Petit Comité” ser o novo chic. E vocês?

 

Luz, câmera, Pampa!  

O papo com Ricardo Moglia Pedra no programa Paralelo MP renderia várias edições – tanto para o rádio, quanto às páginas centrais da Folha. Nascido no campo, criado na lida e descendente de pessoas admiráveis pelos dois lados (imaginem crescer no ambiente lúdico/artístico forjado por Irecê Belmonte Moglia, sua avó materna?) Ricardo possui olhar sensível para captar as maravilhas tecidas por La Pampa. Em parte interessante da entrevista, o fotógrafo falou sobre o crescimento da sua relação com a atmosfera inspiradora. “Até certo ponto da minha vida, o campo e tudo que vive nele passavam, de certa forma, desapercebidos pelo meu olhar. Quando se nasce em determinado meio, ele não te impressiona como a quem chega de fora. Quando acordei para a riqueza da luz, dos animais, da topografia, das plantas, enfim, de tudo que constitui o Bioma Pampa, meus olhos tornaram-se lentes”, contou ao microfone. Sem dúvida, um dos papos paralelos mais interessantes da temporada.

 

Malhação com segurança

          Inaiê Costa Kalil caprichou na mudança do layout da sua Performance Academia a fim de adequá-la às regras decretadas em tempo de pandemia. Por exemplo, as esteiras foram para o salão aeróbico cedendo espaço à realocação dos aparelhos com apropriado distanciamento. “Visando a segurança dos nossos frequentadores e alunos, também solicitamos o uso obrigatório de máscaras e que cada um leve a sua própria garrafa de água e toalhinha. Álcool gel em todos os ambientes, ao dispor. As turmas foram reduzidas e, agora, é preciso informar o horário que se deseja treinar para encaixar-se na planilha”, explicou à coluna. Paralelo deu rasante por lá e garante: além de visivelmente segura, a academia abraça os frequentadores com energia contagiante.

 

Parabéns aos manos

          Nesta segunda-feira, 1, o pequeno Pedro Cougo Coradini completa um aninho. Dias antes, em 25 de maio, o mano dele, Antônio Carlos Coradini Júnior chegou a marca dos dez anos, celebrados em família, com mini décor assinada por Renata Munhoz, bolo personalizado by Nick Sarmento e serviço gastrô de Neisa Budó. Afeitos a estruturadas comemorações, Daiane e Antônio Carlos Coradini programam festão (leia-se novembro), no Gabana, para celebrar o primeiro ano de Pedro e seu batizado.

 

Barô/Paralelo

Virou tradição: as sextas-feiras, a coluna aterrissa no Barô Restaurante onde, gentilmente, é aguardada pelo staff dentro dos códigos decretados. À mesa, degustando as delícias do menu com irretocável gin tônica, recebo convidados diferentes e habitués a cada semana. Conforto, atendimento e qualidade ficam expressos nos detalhes tornando o Barô um dos locais mais agradáveis da cidade. 

Deixe sua opinião